22.11.2013

Miley Cyrus está chegando aos seus 21 anos no sábado, e para comemorar, a MTV está dedicando um dia de programação a super-estrela mais escandalosa do pop… Começando com a estreia de um novíssimo especial, “21 Candles: Miley’s MTV Moments”.

Nós também estamos trazendo de volta o nosso documentário “Miley: The Movement Versão Deluxe”, com todos os novos comentários da própria aniversariante, e ela vai apresentar dois seriados da MTV que ela escolheu a dedo: “Awkward” e “Snooki And JWOWW”. Durante todo o dia, os Smilers que twittarem mensagens de aniversário usando o hashtag #HappyBirthdayMiley ou mensagens de vídeo no Instagram também terão a chance de aparecer no ar, na MTV durante a festa de aniversário de Miley.

O que podemos dizer? É um grande dia … Mas por que esperar até sábado para começar a festa? Estamos começando nossa celebração dos 21 anos de Miley um dia antes, com esta lista das 21 coisas que fizeram a ela, bem, ela. Então, dê uma olhada e prepare-se para uma festa de aniversário épica neste fim de semana.

1. “Achy Breaky Heart”

Isso, é claro, é o hit assinado pelo seu pai, Billy Ray. A mãe de Miley, Tish, faz uma aparição no vídeo de “Achy Breaky” – e em dezembro de 1992, eles se casaram, o que significa que, sem essa música, Miley provavelmente nem sequer existiria.

2. Dolly Parton

A lenda da música country, e atriz e é a madrinha de Miley (ela também fez várias participações especiais em “Hannah Montana” como “tia Dolly”), e nós gostamos de pensar que ela aprendeu uma ou duas coisas sobre como ser uma bem durona.

3. Black Sunday do Cypress Hill

Miley já deixou registrado o seu amor pela maconha – chamando-o de “a melhor droga na face da Terra” na Rolling Stone – e a música não seria melhor, sem o clássico de 1993, o LP de Cypress Hill. A partir dos sentimentos da faixa de abertura, “I Wanna Get High” para faixas como “Legalize It”, “Hits From The Bong” e, claro, “Insane in the Brain”, Black Sunday pode ser muito bem o álbum que fala sobre maconha que acaba com todos os álbuns sobre a erva.

4. Bounce Music da Nova Orleans

Em 2013, o twerking balançou seu caminho para o meio da rua, mas as suas raízes na verdade remontam à cena Bounce super-sexualizada de Nova Orleans da década de 1990. Canções como “Do The Jubilee All” de DJ Jubilee e “Something Twerk!” de Cheeky Blakk em parceria de seu amigo do twerk, dentro de poucos anos, a mania se espalhou para Atlanta, onde os gêmeos de Ying Yang pegaram o país com o seu single “Whistle While You Twurk”.

5. Visual de 1999 de Lil Kim no VMA

Miley certamente não é tímida quando se trata de mostrar um pouco de sua pele, mas ela ainda tem um longo caminho a percorrer se quiser igualar ao seus “peitotásticos” em sua fantasia de Lil Kim no VMA de 1999. Mas não acho que ela não esteja tentando: Miley imitou o look de Kim para o Halloween deste ano.

6. Britney Spears

O primeiro álbum pop que Miley comprou foi “Baby One More Time” de Britney, e como uma garotinha de 8 anos de idade, ela assistiu o vídeo de Spears “Slave 4 U” e decidiu ali mesmo que ela queria chegar a estes limites. Não é de se admirar que quando Miley convidou Britney para gravar uma faixa para o seu álbum Bangerz, ela proclamou: “se fosse aos 8 anos de idade, eu estaria me mijando nas calças no momento.”

7. “Lizzie McGuire”

Um dos primeiros shows teen do Disney Channel, que basicamente criou o modelo de sucesso “Hannah Montana” com Miley, alguns anos mais tarde: levou uma jovem atriz (neste caso, Hilary Duff), e usou seu próprio seriado como uma forma a isso virar uma marca. “McGuire” inspiraria um filme e mais mercadoria do que poderíamos lembrar, e Duff iria estabelecer-se com um certificado de estrela pop graças a quatro álbuns, todos os quais foram liberados através de propriedade da Disney, Hollywood Records.

8. “Doc”

Um drama familiar que foi ao ar na rede PAX, agora extinta, foi estrelado por Billy Ray Cyrus como as Montana, médico que aceita um emprego em uma clínica médica em NYC. Como se isso não fosse o bastante improvável, uma incrivelmente jovem Miley fez sua estreia na “atuação” no episódio piloto, e fez um punhado de outras aparições em épocas posteriores.

9. O iPod

Quando foi introduzida pela primeira vez em 2001, a maioria zombou, mas na década plus desde então, o revolucionário tocador de mídia da Apple mudou fundamentalmente a forma como ouvimos música. Restrições arbitrárias, como gêneros, foram substituídas por listas de reprodução abrangentes, e os singles se tornaram moedas de nosso tempo. Tudo que você precisa fazer é ouvir Bangerz e perceber que Miley, certamente, é um produto da geração iPod.

10. Tish Cyrus

Mãe/co-empresária de Miley, ela ajudou a orientar a filha na pista de obstáculos da fama, alinhando-a com os grupos de gestão da mesma opinião e aconselhamento. Porém o mais importante, ela continuou a ser uma presença constante ao lado de Miley através dos altos e baixos de sua carreira.

11. “Hannah Montana”

Talvez você já tenha ouvido falar dela?

12. Disneymania 4

Álbum de 2005 que apresenta canções executadas por estáveis estrelas da Disney, que também marcam a estréia das gravaçães de Miley, como ela contribui com uma versão de “Zip-a-Dee-Doo-Dah” de “Song of the South.”. Além disso, de acordo com a Wikipedia, o álbum “é considerado o segundo melhor da série até agora.” É bom saber!

13. Twitter

Lançado em 2006, embora nos últimos anos, ninguém tenha usado o microblog com mais maestria do que Miley, que transmite seus colapsos, inseguranças, triunfos e atribulações para mais de 15,5 milhões de seguidores. O Twitter teve essencialmente o lugar do YouTube, que Miley costumava frequentar com a amiga Mandy Jiroux.

14. A questão da “Vanity Fair” em Junho de 2008

Embora pareça positivamente singular pelos padrões de hoje, a polêmica que surgiu em relação a propaganda de Miley para a VF em 2008 era de fato algo muito real. Para aqueles que precisam de uma retrospectiva, Cyrus posou para a famosa fotógrafa Annie Leibovitz, e uma imagem em particular – vestindo apenas um lençol – causou um alvoroço tal que Miley foi forçada a emitir um pedido de desculpas. Em retrospecto, isso provavelmente marca o início de sua oferta para a verdadeira independência artística.

15. Jay Z

Miley mencionou que uma de suas músicas salvou a vida dela em 2009, o hit “Party in the USA”… Embora logo depois, ela admitiu “Eu nunca ouvi uma música de Jay Z”. Estamos dispostos a apostar que isso mudou com o tempo desde então e, como um bônus adicional, o cantor ainda gritou em seu assustadoramente e presciente canção de 2013, “Somewhere in América”.

16. “Can’t Be Tamed”

A faixa-título de seu álbum de 2010, é basicamente a linha divisória entre o passado Cyrus, “Hannah Montana” e seu presente twerktástico. No vídeo, ela dança dentro de uma gaiola e mostra tanto um ar de superioridade recém-descoberta quanto sua personalidade recém-sexualizada. “Não é uma nova Miley, é apenas uma nova parte de mim”, disse ela ao Ryan Seacrest sobre o vídeo. Nós discordamos.

17. “The Last Song”

Filme de 2010 baseado no romance de Nicholas Sparks, é estrelado por Cyrus como uma adolescente rebelde que se apaixona por um atleta interpretado por Liam Hemsworth. É também onde Cyrus e Hemsworth começaram seu relacionamento ioiô, que incluiu o noivado em Junho de 2012. Infelizmente, não houve final feliz em Hollywood para o casal, e em setembro de 2013, eles anunciaram oficialmente que tinham rompido.

18. Mike WiLL

Como produtor executivo do álbum de Miley, Bangerz, ele ajudou a reinventar seu som e amenizou seus medos quando ela tinha dúvidas sobre seu primeiro single, “We Can’t Stop”. Mike também tem uma longa lista de hits com seu crédito, incluindo “Mercy” de G.O.O.D. Music, “Pour It Up” música de Rihanna e “Bandz a Make Her Dance” de Juicy J.

19. Terry Richardson

Fotografo de moda, um pouco assustador, que criou polêmica ao longo de sua carreira, ele é responsável por algumas das imagens mais escandalosas de Miley, até agora (que estão dizendo alguma coisa) e dirigiu o instantaneamente icônico vídeo de “Wrecking Ball”, ajudando a dar forma à própria estética de sua reinvenção dramática.

20. Diane Martel

Uma veterana diretora de vídeo, ela ajudou a transformar o videoclipe de “We Can’t Stop” de Miley, em uma sensação… E como se isso não bastasse, ela também serviu como uma “diretora criativa” por sua atuação infame no VMA. Claro, a reação mais palhaça no palco durante a performance mistificada de Miley. Martel, que disse à MTV News: “Estou chocada com o espanto de vocês. Acho que há outras notícias que você deveriam se preocupar mais… Síria? Egito?” Bom ponto.

21. Sua performance no VMA 2013

Backlash de lado, a língua de Miley e twerk preencheram a épica performance de Miley no VMA, e tornou-se a performance que definiu sua carreira, o momento em que ela trouxe seu novo visual (e atitude) para o público. Se você concorda com tudo o que ela fez no palco ou não, você não pode negar o impacto que suas ações tiveram: Três meses após o VMA, ainda estamos falando sobre isso.

FONTE.


Publicada por: Miley Cyrus Brasil

Deprecated: WP_Query foi chamado com um argumento que está obsoleto desde a versão 3.1.0! caller_get_posts está depreciado. Utilize ignore_sticky_posts no lugar. in /home/mileybr/public_html/wp-includes/functions.php on line 5062
relacionado
12.11.2020
relacionado
05.10.2016
relacionado
31.12.2015
relacionado
30.12.2015
comente a postagem!