26.12.2013

Em 2013, Miley Cyrus balançou sua língua e definiu sua linguagem. Graças a um punhado de vídeos quentes, algumas escolhas de looks ultrajantes e uma performance de comédia-erótica no MTV Video Music Awards, a Srta. Cyrus tomou o caminho veloz sem direção de ex-estrela infantil (como Hannah Montana, do Disney Channel) ao mais direcional de estrelas pop, deslizando facilmente para o papel de “criança terrível” do pop. Seu álbum “Bangerz” (RCA) – para o qual ela vai começar a turnê em fevereiro – foi notável por sua atitude de assumir riscos em um ano, quando sua competição se frustrou.

Numa manhã recente, ela estava no Four Seasons em Nova York após um fim de semana em que ela perdeu acidentalmente um show em Boston por causa do tempo e, em seguida, teve problemas com sua voz. Mas, mesmo sendo de manhã cedo, ela estava auto-consciente, focada, eficiente e hiperativa, brincando sobre colocar um pouco de Bailey’s em seu café. Estes são trechos da nossa conversa:

NYT. Fiquei impressionado com seu documentário “Miley: The Movement” pela forma como você estava ciente da importância do VMA.

MC. Mas eu não sabia que eu ia ser a única que faria daquele jeito. É realmente muito engraçado quantas pessoas puderam ver a minha performance, e eles acham que foi, tipo, sexista e degradante para as mulheres, e de alguma forma as pessoas acharam racista, o que eu não conseguia nem imaginar que fosse. Porque eu sou do tipo: “Como faço para sair ganhando? Se eu só tiver dançarinas brancas, então eu sou racista. Se eu tiver meninas negras como dançarinas, então eu sou racista.” Sabemos que não foi racismo, e eu sei que não estou colocando as mulheres para baixo. As pessoas falam de mim dizendo que eu era uma feminista, mas eu sou. Eu estou dizendo às mulheres serem quem elas querem ser.

Como as pessoas falaram essas coisas sobre você ao longo do ano, isso mudou o seu pensamento pessoal sobre a importância da raça?

Não, eu nunca deixei que isso me mudasse. Minha avó, que está viva,viveu em uma época em que nem se pensava que um dia teriam um presidente negro. Quero dizer, nunca teriam. E, tipo, a minha avó nem tem 80 anos, então isso é em um curto período de tempo em que as coisas mudaram muito. Eu realmente pensei muito sobre isso quando Nelson Mandela faleceu, porque eu nem podia sequer imaginar viver esta vida e ver o quanto tudo mudaria. Então, você sabe, eu olho para a frente, quando eu estiver mais velha, meus filhos dizendo: “Como assim as pessoas falavam sobre a cor das suas dançarinas?”

Você, obviamente, sabe que a primeira impressão que estão tendo de você desde os últimos seis meses ou é o VMA ou são seus vídeos.

Eu fui de pessoas achando que eu era, tipo, um bebê, até pessoas que achavam que eu sou uma aberração sexual que realmente só usa ecstasy e usa cocaína todo dia. É tipo: “Alguém já ouviu falar de rock ‘n ‘ roll???” Em praticamente todos os filmes você vê cenas de sexo, e eles ficam tipo: “Bem, isso é um personagem.” Bem, isso é uma personagem também. Eu realmente não me visto como um ursinho de pelúcia e nem rebolo no Robin Thicke, sabe?

Ontem à noite, eu estava falando sobre algumas performances de Madonna, e eu disse: “Em algum momento, tudo se torna irrelevante.” Ninguém sequer pensa em quando ela fez “Like a Virgin” no VMA. Isso só se torna um padrão, onde dizem: “Oh, isso é coisa dela.” Então, eu sinto que agora que eu fiz aquilo no VMA tornou-se um padrão para mim, e então sempre que eu fazer qualquer outra coisa do tipo, eles falarão: “A Miley foi a rainha da noite.”

Você assiste de perto o que as outras estrelas pop estão fazendo?

Eu assisto clipes de todo o mundo, até o ponto onde eu fico com transtorno obsessivo compulsivo, olhando para cada coisa que eles estão vestindo e para o que eles estão fazendo. Antes, pelo fato de eu não ter meu próprio eu pessoal, no entanto, era difícil para mim assistir esse tipo de coisa . Eu tinha tanta inveja do que todo mundo podia fazer, porque eu não conseguia ser eu mesmo realmente ainda. Mas agora eu percebo o quanto eles não estão sendo eles mesmos também. Você não precisa assinar contrato com o Disney Channel para ser colocado em uma caixa, ou para ser classificado por sua censura. Estou com artistas, às vezes, e eu tiro uma foto com eles, ou o que quer que seja e eles me mandam apagá-la.

Você não está falando sério.

Sim, é uma loucura. Tiro uma foto com alguém, sai o flash e eles logo dizem: “Você tem que apagar isso!” Eu tinha que fazer isso quando eu tinha 14 ou 15 anos, mas mesmo assim eu não me importava. Tipo, se alguém me filma fumando sálvia, eu não me importo, por isso é engraçado para mim. Eu sou assim: “Cara, você tem 30 anos. Por que ninguém poderia ver uma foto dos seus seios?”

Eu não tenho muitas amizades famosas, porque eu sinto que alguns deles têm um pouco de medo da associação. Isso é terrível. Eu estava nos bastidores com [a estrela em ascensão] Ariana Grande. Eu disse pra ela: “Sai de perto de mim agora e conquiste esta imagem, e isso vai ser a melhor coisa que acontecerá com você, porque só o fato de você falar comigo já te torna menos fofa.”

Menos polêmica.

Exatamente. Ela está tentando. Eu a vejo usando as coisas mais curtas. Ela vem, e ela diz: “Isso me fez sentir como você.” E eu digo: “Tá, parece com o meu vestido de formatura da sexta série.” Ela ainda está na Nickelodeon, eu acho. Ela ainda possui pessoas que ela ainda tem meio que respeitar.

Ela possui contratos.

E precisa cumpri-los, exatamente. Coisas que vazaram – como, você sabe, a sálvia – aconteceram quando eu ainda estava na Disney. Mas eu nunca quis fazer isso para a Disney. Foi quando eu não tinha mais nada com eles que eu disse: “OK, eu vou fazer o que eu quiser agora.” Mas eu esperei até que eu sentisse como se tivesse acabado respeitosamente o que eu deveria fazer, entendeu?

Você sentiu que Joe Jonas estava expondo você e Demi Lovato como tendo sido as únicas a apresentá-lo à maconha?

Se você quiser fumar maconha, você vai fumar maconha. Duas meninas não vão te levar a fazer o que você não quer fazer. Eu acho que ele disse isso pra parecer durão.

Foi o contrário.

Éramos tão novos que, na verdade, fico tipo: “Como vocês dois foram pressionados por mim?”

É verdade que sua capa na VOGUE foi cancelada por causa do VMA?

Eu não posso dizer muito. Mas foi uma época na qual eu deveria fazer coisas para as quais eu não estava disposta. Agora, quando eu sou capa de qualquer revista, seja ela uma Seventeen ou a Teen Vogue, eu falo de um jeito que pessoas de 17 anos não entendem. Havia uma coisa que Kurt Cobain disse que foi: “Há um lugar especial no inferno para pessoas que exaltam as drogas”, e eu nunca quero ser aquela pessoa que fala pra jovens de 16 ou 17 anos: “Fume maconha”. Eu tenho uma irmã mais nova. Eu não quero que ela fume maconha, e não é porque eu acho que seja ruim, mas…

Quando ela tiver idade suficiente para fazer essa escolha.

Sim, ela vai fazer a escolha. Ou mesmo, a minha linguagem. Não sei como não falar do jeito que eu falo. Eu prefiro ter tudo o que eu tenho sendo honesta. Eu quero ser quem eu sou.

Cada geração tem o seu pânico moral. Foi você este ano e daqui a dois anos vai ser outra pessoa.

Exatamente. Mesmo quando eu ouço isso – que alguém, daqui a dois anos, vai ser o próximo – eu já quero fazer um dueto com essa pessoa, quem quer seja, entendeu? Quem quer que seja, eu vou montar nessa onda.

Fonte: The New York Times


Publicada por: Miley Cyrus Brasil
relacionado
17.09.2020
relacionado
11.09.2020
relacionado
07.09.2020
relacionado
31.08.2020
comente a postagem!