15.08.2014

coluna mcbr 1

Com os shows da Bangerz Tour” no Brasil se aproximando, decidimos aumentar a ansiedade dos fãs que já estão se preparando para ver Miley de pertinho. Preparamos um aquecimento para a tão esperada passagem da turnê por aqui e, por isso, mostraremos a história de algumas fãs que já tiveram a oportunidade de presenciá-la.

Confiram abaixo o relato de três fãs que presenciaram o espetáculo enquanto este ainda estava em seus dias primordiais nos Estados Unidos:

Aly Rodrigues (@lifeiswhatits)
Show: 10/04 – Washington, D.C.

O que significa Bangerz?

Nem eu sei, mas acredite, é muito bom.

Alguns dias antes do show eu estava ansiosa demais e tinha insônias e sonhos a meses (sim essa parte sempre vence). No dia? Estava eu tremendo com meu colar feito de folhas de maconha DE PLÁSTICO. Não esquece desse colar, ele logo logo será muito importante para minha vida.

Eu estava sozinha em uma das minhas cidades favoritas no mundo, Washington D.C., e tenho que dizer, existem infinitas diferenças entre os shows aqui no EUA e no Brasil. No Brasil as pessoas disputam para ficarem mais perto do palco. Aqui? As meninas vão vestidas com roupas de baladas, quase semi-nuas, suas melhores roupas e maquiagem na cara. Se você sabe como é o estilo da Miley, imagine várias meninas e meninos vestindo tipo ela. É, aqui não tem essa de empurra-empurra, as pessoas têm lugares marcado, e se você for esperto, como eu fui, você consegue dar uma fugidia do seu lugar e grudar no palco educadamente como o resto do pessoal. Acho que nunca fiquei tão perto de um ídolo meu como fiquei naquele dia.

Vou te contar uma coisa sobre mim, acho que já fui em uns oito shows de ídolos meus e em todos eu trouxe algo para jogar no palco, e tenho que falar a sensação e a experiência sempre é a mesma: Você joga, achando que está muito perto do palco e seu presente, seja lá o que for, ou cai em uma outra pessoa, ou simplesmente cai no pé do segurança que fica na frente do palco que só da risada. Dessa vez eu segurei firme meu colar de maconha, calculei a música perfeita que mais combinava com o colar (Love Money Party) e na hora de jogar eu não conseguia. Estava na dúvida: se eu jogasse e ela não pegasse eu ia perder, se ficasse comigo, eu ia ter uma lembrança, mas por alguma força maior dentro de mim eu joguei, e eu vi ele voando e depois sumiu, a mesma sensação de sempre estava de volta, mais um presente perdido. Alguns segundos devem ter passados até que Miley pega o colar e começa a rodar ele no alto, minha cabeça ainda não tinha captado o que estava acontecendo. Segundos depois ela está com ele no pescoço! Meu colar, com meu perfume, estava no pescoço da Miley! Cabeça, porque você ainda não caiu a ficha?!?!

Durante My Darlin’ e Maybe You’re Right ela usou meu colar. Não é para me gabar, mas todos os presentes que deram para ela, ela devolveu ou jogou de volta para o público, mas o meu ela levou com ela. Pode ter ido para o lixo depois, mas ela levou com ela. Mais tarde no show uma menina jogou um milho de pelúcia, e ela antes de devolver disse: “Vocês me conhecem tão bem.”

Os 5 dólares mais bem gastos da minha vida.

Esse foi o maior ápice da minha noite.
É muito difícil escolher minha apresentação favorita. Eu tenho uma mania de não olhar fotos dos shows anteriores para que tudo seja uma surpresa. A música que estava mais esperando era FU, e mesmo eu tendo amado de paixão, não posso dizer que foi a minha favorita, eu dividiria esse colocação com Drive porque simplesmente foi um momento emocionante onde todas as luzes estavam apagadas e todo mundo acendeu a lanterna, e foi lindo e a voz dela estava incrível. Colocaria também Adore You como favorita, pois a câmera do beijo foi uma ideia genial e a Miley interagia muito com os fãs. Pensando bem, o set acústico, apesar dela ter sido longe do palco principal, foi muito bom.

ALY

O show inteiro foi incrível, eu tive um déjà-vu de três anos atrás quando voltava do show da Miley em São Paulo, onde eu ficava apenas sem fala e eu só conseguia repetir: “ela é linda, ela é linda”. Eu fiquei hipnotizada por pelo menos uma semana. Eu não sei o que aconteceu mas eu simplesmente pirei e não consegui pensar em outra coisa durante uns três dias. Ainda me pego procurando datas, lugares e passagens aéreas para ir a outros shows, mesmo sem dinheiro para isso. O show não foi o mais caro, apesar de onde eu fiquei, esse com certeza foi o maior investimento da minha vida, fiquei 100% satisfeita com o show e ainda ganhei brindes incríveis!

Giovanna Bianchi (@_giibianchi)
Show: 03/04 – East Rutherford, Nova Jersey

Incrível. Perfeito. Mágico. São ótimas palavras para descrever um show da Bangerz Tour.

Eu estive em NYC em abril desse ano, e pude viver a experiência de ficar cara a cara com Miley (mesmo que eu não tenha conseguido comprar o Meet & Greet), o que posso descrever como a melhor que já tive.

O show na verdade foi em New Jersey, porque os ingressos em NY haviam esgotado, e eu consegui comprar o segundo melhor pacote de ingressos. Cheguei no local do show ás 16h, e fui recebida com uma pré-festa toda decorada “a la Miley“, com lugares estratégicos para fotos, snacks deliciosos, e um kit show! No kit vem batom, uma máquina fotográfica de 20 fotos, colar da tour, boné da tour… É incrível! E ainda ter tudo isso ao som do soundcheck com aquele vocal absurdo, não tem preço. Entrei na arena e não pude conter os surtos quando percebi que não haviam grades que separavam o público do palco. E pirei mais ainda ao descobrir que minha cadeira era a segunda depois do palco. É o tipo de coisa surreal… Tiveram os shows de Sky Ferreira (que eu particularmente não gostei, porque não animou a galera), e da Icona Pop, que foi maravilhoso. As duas são demais, super simpáticas e interagiram comigo diversas vezes, deram o microfone pra eu cantar etc. Como se não bastasse isso (que já é demais para um fã brasileiro), Miley entrou no palco.

Naquele momento eu não estava mais em mim. Eram balões voando por toda parte, vários dançarinos e uma língua gigante saindo do telão. Aquela voz, aquele corpo que parece de boneca, a simpatia… Nada se compara a ela! Eu ainda peguei uma fase difícil porque dois dias antes, Floyd havia morrido. Ela chorava em quase todas as músicas e eu chorava junto com ela. Pediu desculpas milhares de vezes, e sempre tentava abrir um sorriso, que por menor que fosse, ainda assim era o sorriso dela! Cantei demais, gritei, chorei, encostei nela, tudo de melhor que qualquer fã pode pedir e imaginar. Um sonho sendo realizado. Cada performance, uma surpresa diferente, e o show ficava cada vez mais divertido (se é que era possível).

Adorei SMS, Adore You, Drive, Someone Else, WCS… Enfim, TODAS! Mas a que realmente marcou foi Maybe You’re Right! Não gostava muito dessa música, mas foi o momento do show que ela ficou pertinho de mim por um bom tempo e quando eu encostei nela. Nada se comparou a essa sensação, nada. Essa música marcou muito para mim, e passou a ser a minha favorita do álbum. Bom, a noite terminou ao som de PITUSA, e como todos devem saber é uma das performances mais incríveis do show! Mais lágrimas caíram, e eu fiquei olhando boba para o palco depois que ela saiu, tentando adivinhar se tudo aquilo realmente tinha acontecido. É humanamente impossível sair de um show da Bangerz Tour sem amar Miley Cyrus!

Bruna Gomes (@LovatoMemi)
Show: 24/03 – Orlando, Flórida, Estados Unidos

Miley andou chocando o mundo desde sua volta à música com o álbum Bangerz, e a sua nova turnê não poderia ser diferente. Mas, engana-se quem pensa que é só de ousadia e saliência que o show é feito.

Estive no show sold-out em Orlando, na Amway Arena, com capacidade para pouco mais de 16 mil pessoas e a Bangerz Tour é diversão garantida do começo ao fim. Quando você entra na arena percebe que a noite vai ser inesquecível, pois ela já está toda decorada com balões coloridos. O show começa com a música SMS (Bangerz), onde Miley entra no palco descendo por uma enorme língua, uma paródia dela mesma e das enormes criticas que recebe por sempre mostrar seu “línguão” por aí. Em seguida vem 4×4, que teve muita dança e brincadeiras. Em Love Money Party, um carro surgiu no palco, onde Miley sensualizou com poses e danças em cima do veículo, que começa a soltar notas de dinheiro na plateia.

Do My Thang agitou a platéia que tinha o refrão na ponta da língua e cantou junto em alto e bom tom. Em seguida, em #GETITRIGHT uma bandeira do Brasil foi jogada para Miley, que pegou e depois a deixou em um canto do palco. Em Can’t Be Tamed, uma das músicas antigas que ela canta no show, um Floyd gigante surgiu no palco. É totalmente incrível o tamanho dele. Depois, tivemos Adore You. Antes da música começar, Miley deu um discurso falando que aquela noite é a noite de sorte de quem está lá, para eles aproveitarem aquele momento e beijar quem quisessem beijar e que, talvez, aparecessem no telão. Esse momento foi muito bacana pelo fato que, no telão apareceu beijo gay, lésbico, hétero, beijo de amigos, beijo entre 4 pessoas e até Frankie Grande, irmão de Ariana Grande, apareceu beijando uma amiga no telão (ele estava na primeira fileira no show, é super fã da Miley), foi realmente muito legal ver como existe diversidade e acima de tudo respeito entre todas as orientações sexuais, pois quando casais gays apareciam, eram muito aplaudidos pela coragem de mostrar quem são sem medo.

Em Drive, a arena inteira acendeu. Luzes pra todos os lados, dando um clima maravilhoso para a música.

O vocal de Miley estava absolutamente maravilhoso, sua evolução é muito visível de sua ultima tour (Gypsy Heart) pra cá. Sem desafinar, sem playback, sem forçar, Miley me provou que ela tem talento pra dar e vender. Ela explora bem o vocal em suas músicas mais lentas como Adore You, Drive, Rooting For My Baby e Wrecking Ball, sem falar nos covers do set acústico no qual ela cantou The Scientist do Coldplay, Jolene da Dolly Parton e You’re Gonna Make Me Lonesome When You Go do Bob Dylan, que além de mostrar seu vocal poderoso, mostra como sua voz se encaixa em vários estilos diferentes.

23 fez a platéia vibrar e pirar! Um Mike Will de mentira apareceu no palco e fez a diversão do pessoal.

O show finaliza com Someone Else, onde Miley sobe num cachorro-quente gigante e voa sob a platéia e no telão aparece uma porta de saída enorme, onde ela entra voando e finaliza o show. Bom, quase finaliza. Depois de alguns minutos, o palco volta a acender e Miley volta cantando Wrecking Ball, seu maior hit do novo álbum, e a platéia vai a loucura e canta muito alto. Maravilhoso o clima que é criado. Em seguida, começa We Can’t Stop, onde aparecem dançarinas de twerk, uma anã vestida de baseado, outras dancarinas vestidas de esqueiros e Miley super animada agitando todo mundo e então é finalizado a primeira parte do bis. Miley saiu do palco de novo, mas ainda falta uma música, a segunda música antiga que Miley canta no show e seu single de maior sucesso no mundo, Party In The USA!

Miley surge com roupas de cowgirl, com peruca loira e chapéu, e faz uma versão renovada da música. Na parte em que a música fala “Noddin’ my head like yeah”, ela fez um movimento imitando sexo oral, onde todos surtaram. Quase no fim da música, uma plataforma começou a subir com ela e uma chuva de papel picado com as cores da bandeira americana foi jogada na plateia. Literalmente, uma festa. Não havia música melhor para finalizar o show.

São duas horas cronometradas, mais ou menos 7 trocas de roupa, muitas luzes, um palco enorme com telões, preludes divertidas e que complementam totalmente o show, muitos dançarinos, um palco menor localizado do outro lado da arena para o set acústico, fazendo com que ela fique próxima de todos os fãs, vocal incrível, originalidade, ousadia e muito amor da Miley pelo seu público e seu trabalho. Isso é a Bangerz tour, na minha opinião, a melhor tour de 2014!

Isso só aumenta a nossa ansiedade, certo? Dentre todas as turnês, a partir da Wonder World Tour (que foi a primeira em que as pessoas foram para ver a >>Miley e não uma personagem), a Bangerz é a que mostra o quão consistente a carreira de Miley na música pop pode ser. Os shows são inacreditáveis, e cativam os que não são fãs de primeira, não sendo resumida apenas em efeitos teatrais, mas em vocais que se destacam. A turnê possui uma fórmula diferente, e Miley prova ter diversas facetas, como a mulher que faz gestos sugestivos em cima de um carro em Love Money Party, e aquela que se senta e canta suas músicas preferidas no set acústico.

Não digo isso da maneira poética, mas a Bangerz Tour é uma releitura de um dos principais desígnios de Miley desde que sua nova era começou: mostrar o poder feminino. O poder que a mulher tem de usar tão pouca roupa no palco como cantores homens podem, o poder que a mulher tem de se sentir bonita sem estar encaixada nos padrões de beleza estabelecidos pela sociedade. O poder de ter voz ativa como participante do constante movimento em que o mundo se encontra.

tumblr_n8xrg3YkDk1rmlomio1_500

É algo grande, mas para quem tem o talento maior ainda, fica fácil.


Publicada por: Miley Cyrus Brasil

Deprecated: WP_Query foi chamado com um argumento que está obsoleto desde a versão 3.1.0! caller_get_posts está depreciado. Utilize ignore_sticky_posts no lugar. in /home/mileybr/public_html/wp-includes/functions.php on line 5146
relacionado
07.04.2021
relacionado
06.04.2021
relacionado
03.04.2021
relacionado
03.04.2021
comente a postagem!
error: Content is protected !!