17.08.2014

bannerbts
As semanas passam e cada dia, é um dia a menos para Miley Cyrus retornar ao Brasil! A cantora tem 3 shows marcados no país em Setembro, sendo um deles na capital do país, Brasília, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Aparentemente, a empresa que trará a loira e sua mega turnê mundial para o os fãs brasileiros, a Tickets For Fun, decidiu “conferir” como são os shows da Bangerz Tour.

A empresa enviou um jornalista para um dos shows da turnê nos Estados Unidos, na semana passada. O mesmo resumiu os acontecimentos do show em Chicago, que aconteceu na última Quinta-Feira (14). Confira a matéria logo abaixo.

Fale o que quiser de Miley Cyrus. Mas não vale dizer que falta cara de pau no show da cantora americana, que passa pelo Brasil em setembro. No encerramento da turnê nos Estados Unidos, ela mostrou um “planeta bizarro” que tem gatinho cantor no telão, festa do pijama em uma cama gigante, cachorro quente voador, bichos de pelúcia saltitantes… E um pouquinho de country. O circo da popstar de 21 anos é divertido, uma superprodução.

Com afinação inversamente proporcional ao tamanho de seus shortinhos, meninas cantaram cada música do set de Miley. Em Chicago, nesta quinta-feira (14), as cadeiras foram na maior parte ocupadas por garotas entre 12 e 18 anos. Garotos eram poucos, muitos deles conquistados por Miley ainda no tempo que ela era a estrela da série “Hannah Montana”, da qual ela se mostra cada vez mais longe.

Miley tem bastante chão para dançar. São três espaços: um palco com banda, outro para ela e seus dançarinos e um terceiro para um set acústico já perto do fim do show. A banda tem baterista, tecladista, dois guitarristas, duas vocais de apoio e um rapaz encarregado de soltar sons pré-gravados.

Assumidamente “de ressaca”, ela faz de tudo para agradar. Interage com qualquer objeto que o público joga no palco. Usa uma jaqueta do Chicago Bulls, time de basquete local, e se abraça em dois unicórnios de brinquedo. Depois, simula fazer sexo com suas dançarinas usando um pênis inflável também arremessado por algum(a) admirador(a).

As fãs acham graça de tudo. Vibram com cada estripulia. Recebem bem as já citadas inserções de country no repertório, como em “Do my thang”. Nesse momento, dez dançarinas lotam o palco e um dos guitarristas toca banjo. Miley usa a perna de uma mulher como se estivesse com uma guitarra. É o mais perto que chega de tocar algum instrumento musical.

O faniquito no United Center faz doer o ouvido na boa “#Getitright”. É quando rola a tal de festa do pijama. Miley e dançarinos ficam de roupas íntimas, deitados na cama. Lá pelo meio da música, ela puxa o shorte de um dançarino para ver o que tem por baixo. Faz um gesto com a mão, o mesmo que costuma ser feito por dançarinos de axé no fim da coreografia de “Lepo Lepo”. A falta de sutileza faz a plateia dar risada, mas momentos de mais ternura também encantam o fã-clube de “smilers”.

Na balada “Adore you”, Miley bota uma “câmera do beijo” no telão. É algo comum nos estádios e ginásios americanos. Duas pessoas são filmadas para que elas se beijem. “Homem pode beijar homem, mulher pode beijar mulher”, avisa Miley, contrariando a máxima de Tim Maia, e indo além. No telão, vários casais gays aparecem: principalmente formados por meninos. A maioria das meninas filmadas arrisca apenas um selinho, tímidas.

Set acústico e final festeiro

Os três maiores sucessos ficam para o final. “We can’t stop”, “Wrecking ball” e “Party in the U.S.A.” são tocadas com arranjo infinitamente mais pesado do que o de estúdio. Quem não curte rock e prefere a cadência do hip hop pode até estranhar.

Na última da noite, símbolos dos Estados Unidos são representados por dançarinos. Tem Liberty Bell (uma anã fantasiada de sino), Monte Rushmore, Estátua da Liberdade e um homem que imita o presidente Abraham Lincoln, no qual a cantora simula fazer sexo oral.

Mas a parte favorita de Miley é a anterior: o momento em que canta em um palquinho montado perto da arquibancada mais distante. Nesta noite, Miley escolheu versões da americana Lana Del Rey (“Summertime sadness”); dos Beatles (“Lucy in the sky with diamonds”); e de Dolly Parton (“Jolene”, country com direito a selfie no meio da música).

“Esta é minha parte favorita do show”, conta, empolgada. Ela acrescenta que não está nos planos fazer shows sempre com “toda esta m…”. Não exagera, Miley

Fonte


Publicada por: Elton Junior
relacionado
10.08.2020
relacionado
23.07.2020
relacionado
09.07.2020
relacionado
07.07.2020
comente a postagem!