08.10.2014

094

Bangerz é o quarto álbum de estúdio de Miley Cyrus, e foi lançado mundialmente exatamente há um ano atrás em 08 de outubro de 2013, através da RCA Records, apesar de seu período de gravação ter sido em 2012. Ela colaborou com produtores como Pharrell Williams, Dr. Luke, Mike Will Made-It e will.i.am, mudando o seu estilo de pop-teen para um pop mais consistente, com uma pegada country e a vibe do hip-hop urbano.

Miley descreveu o álbum como sendo seu “primeiro álbum de verdade” e “inovador”, com o primeiro single, “We Can’t Stop” e outras 15 faixas intensas. Sua capa foi divulgada em 24 de agosto de 2013, apenas dezoito dias depois de Miley revelar seu nome, “Bangerz”, em seu perfil oficial na rede social Twitter.

Todos os fãs de Miley estavam, com certeza, muito animados para o primeiro álbum da cantora depois de sua saída da gravadora Hollywood Records e o fim do contrato com a Disney. Tão animados que, após ser considerado um dos álbuns mais esperados do ano, chegou ao 1º lugar do iTunes americano, brasileiro e mundial em menos de uma hora após seu lançamento à meia noite do dia 08 de outubro.

O álbum conta com 13 faixas em sua versão padrão – cuja lista foi divulgada no dia 10 de setembro de 2013 também no Twitter da cantora -, e 16 faixas na versão deluxe, cujas faixas bônus são as canções “Rooting For My Baby”, “On My Own” e “Hands In The Air (feat. Ludacris)”.

No dia 30 de setembro do mesmo ano, o álbum foi liberado para que fosse ouvido através do iTunes em sua versão standart e clean.

As faixas do CD, em suas respectivas versões são:

1. Adore You: Uma das favoritas de Miley. A cantora descreveu como “bastante emocional”. Escrita por Stacy Barthe e Oren Yoel, a balada é o aquecimento para o que nos espera no decorrer do disco. Bangerz, sabiamente, começa com uma música que é emocionalmente madura, mas não excessivamente provocadora. A cantora revela que sua paixão pode ser demonstrada em um resumo, vulneráveis proclamações de romance.

2. We Can’t Stop: Primeiro single, foi defendida por Miley quando esta declarou: “Eu não fiz esta canção para os críticos, mas para as pessoas que vivem isso. Eu tenho 20 anos e eu quero falar com as pessoas que ficam acordados a noite toda com seus amigos. A música é baseada em uma história verídica de uma noite louca que eu tive: Quando ouvi ela pela primeira vez, ela capturou exatamente o que eu estava vivendo.” Além disso, seu produtor chamou de “versão mais madura de Party in the USA”.

3. SMS (Bangerz): Abreviação de “Struttin’ My Stuff” a música é um dueto com Britney Spears. Sobre a música, Miley afirma: “É agitada. Tem que ser: é a Britney! Ela tem uma daquelas vozes que, assim que começa a tocar todo mundo sabe que é a Britney Spears, e é isso que eu queria. Tem toda uma vibe que está em torno de Britney Spears e o que ela representava, é muito louco“. A música foi avaliada como “superficial” pela Billboard, mas isso não impede ninguém de, pelo menos, dar uma olhada mais de perto em um dueto entre Miley e Britney, que está presente no CD, mesmo que apenas por questão de curiosidade.

4. 4×4: Descrita por Miley como uma união de elementos estranhos, a parceria de Miley com Nelly leva Miley de volta às suas origens country, mantendo o estilo dance. “É meio country, hip hop, um pouco de pop, se você acredita nisso,” Nelly disse. “É sobre se divertir; meio que como uma caminhonete 4×4 simboliza rebeldia… você sabe, acelerar, querendo dirigir com os ‘bad boys’. É uma faixa muito legal”. Para Miley: “A música é o meu “Hino Nashville”. Eu imagino uma garota de pé em uma camionete em movimento, gritando a música para o mundo. Vim de Nashville e acho que o jeito atrevido das garotas de lá é ótimo. As meninas de Nashville são corajosas, confiantes e eu sinto falta de ouvir a voz de gente da minha cidade natal na música de hoje.” A faixa foi escrita e produzida por Pharrell Williams.

5. My Darlin’: A parceria com o rapper Future, foi produzida por Mike WiLL, que disse ser “uma das melhores músicas da história, um grande bem-estar. Música que agitaria um estádio no Super Bowl.” Aqueles que querem saber o motivo de Ben E. King ser listado como um co-autor em My Darlin, terão sua resposta assim que Future e Cyrus sussurrarem alguns compassos de Stand By Me ao longo de uma ritmada batida.

6. Wrecking Ball:É uma das músicas do meu CD que eu sinto que um pouco mais, hum, é tipo, não que tenha sido difícil de desapegar mas foi uma época temperamental da minha vida. É aquela música que você vai cantar mas é difícil porque é como olhar para antigas fotografias, ou algo que você sente falta e leva você de volta pra aquele momento e faz você sentir aquela emoção novamente. Eu acho que significa muito pra mim, mas é uma daquelas músicas que é difícil ouvir e cantar porque eu lembro do que estava passando nessa época.” O poder e o propósito de Wrecking Ball, o primeiro single de Cyrus a alcançar #1 na Billboard, é ampliado depois de um punhado de boas-porém-não-grandes canções de amor em Bangerz. Wrecking Ball é uma contundente canção de separação, com a qual ela sabe imediatamente lidar.

7. Love Money Party: Cyrus mistura rap ao hip-hop na música, que possui Big Sean. Com batidas ritmadas, LMP leva Miley à novos caminhos com sua música! Em questão lírica, compara o dinheiro com o amor e festas – coisas bem presentes na vida da cantora.

8. #GETITRIGHT: A canção, escrita e produzida por Pharrell, seria o primeiro single do álbum, porém foi substituída. A música valoriza a voz rouca e country de Miley e engancha uma doçura inteligente que esconde parcialmente a natureza franca sexual em suas letras.

9. Drive:É como ter terapia, uma conversa muito longa que dura 4 horas só pra escrever uma música, porque você tem que passar por cada detalhe. E foi desse jeito que escrevi ‘Drive‘ e não sobre o que eu estava passando naquele momento, mas as coisas que eu tinha atravessado, por isso é ainda mais difícil porque você tem que cavar como uma terapia.Eu sempre saio de lá chorando e meio acabada. As vezes no estúdio – Eu sou do tipo que chora pensando naquilo – as pessoas vão dizer ‘precisamos de você para fazer uma garota chorar’ como em ‘Drive’… É estressante no estúdio quando se trata de escrever essas canções.” Qual foi a inspiração dela? “Eu estava trabalhando no dia dos namorados, e escrevi isso naquele dia. É uma música sobre a necessidade de deixar alguém mas não querer se machucar fora do relacionamento. É um momento em que você quer sair, mas não pode. É, também, sobre seguir em frente”. Com uma performance vocal excelente, Miley desenvolve a música sobre coração partido sob o dubstep de Mike WiLL.

10. FU: FU é uma música que conta com incríveis vocais de Miley e com a parceria de French Montana. É o dubstep se encontrando com o blues com um piano exageradamente alto no começo. “São duas letras “F” e “U”. É sobre você poder apenas falar duas palavras pra alguém”, disse French Montana. “É sobre alguém que quando quebra o seu coração ou algo assim, e depois de um tempo, volta atrás. Você tem a oportunidade de dar duas cartas para ele, “Fuck” e “You”“.

11. Do My Thang: Encontramos Cyrus lançando notas vocais que crescem mais absurdamente a cada segundo, assim como os sintetizadores pegajosos. A música confunde o ouvinte, começando com o Electropop feito por will.i.am e seguindo direto para o Hip-Hop.

12. Maybe You’re Right: Com Jonh Shanks na composição, era óbvio que teríamos um hino no álbum. A música lembra vocal e liricamente Adele. Conta uma história de amor mal resolvida e Miley utiliza as sutilezas dos versos mais calmos para coletar e armazenar energia vocal para o refrão vistoso.

13. Someone Else: Com uma melodia suave no começo, a música se desenvolve de verdade em seu pré-refrão. Nos versos, Miley leva a melodia para um passeio e, em seguida, a solta, enchendo cada sílaba desta rápida canção com puro sentimento. Tudo sobre a música combina: as insistentes batidas, os vocais altos, o desespero da frase “Hold me close, don’t let me go!”, e, claro, a entrega envolvente de Miley na ponte musical.

14. Rooting For My Baby: Escrita, claramente, para Liam Hemsworth – que era noivo de Miley na época – a música apresenta um baixo violão e o sotaque sulista de Miley enquanto esta apresenta o jeito de lidar com o amado e o triunfo sobre tudo.

15. On My Own: Não, não é Michael Jackson quem está cantando. On My Own é muito bem escrita com uma batida divertida. Com uma bateria oscilante a música permite que Cyrus afunde os dentes em um pop de qualidade.

16. Hands in the Air: O dueto com Ludacris finaliza o álbum e a música é como um alívio, feita para ser ouvida em um clube relaxando, exceto pelo rápido rap de Ludacris, que continua passando a mensagem da importância da música. A última declaração do álbum tem o toque de encerramento perfeito.

Para “Bangerz”, Miley fez um photoshoot com Tyrone Lebon, que pode ser visto completo em nossa galeria clicando nas miniaturas abaixo.

Três singles foram lançados para “Bangerz” até hoje. O primeiro single, “We Can’t Stop”, foi lançado em 03 de junho de 2013. A canção foi escrita por Mike WiLL, Pierre Slaughter, Rock City, Douglas Davis, Ricky Waters e Miley Cyrus, e foi produzida por Mike WiLL. A música foi inspirada por uma verdadeira festa na qual Miley esteve com seus amigos. Miley gravou a música quando lhe foi oferecida por Mike WiLL, com o pensamento de que tanto ela quanto seus fãs poderiam se relacionar com a letra, que mostra a sua realidade como jovem da Califórnia.

Miley gravou um videoclipe icônico para a música nos arredores de Los Angeles, onde festeja numa casa alugada para uma festa com amigos. O clipe, que conta com mensagens subliminares de piadas internas e referências artísticas escolhidas a dedo pela cantora, instiga a curiosidade pela música e sua identidade visual. Hoje em dia conta com quase 470 milhões de visualizações na VEVO.

O segundo single de “Bangerz” a ser lançado foi a poderosa “Wrecking Ball”, composta por Mozella, Dr. Luke e Cirkut, e produzida pelos dois últimos. A letra da faixa fala sobre um relacionamento no qual um ama mais que o outro, desta forma se machucando. A metáfora da bola demolidora pareceu agradar aos críticos e ao público em geral. A música atingiu quarto lugar nas rádios americanas segundo o Mediabase, com mais de 150 milhões de execuções apenas nas rádios pop. Atualmente, Miley é detentora do maior hit já emplacado nas rádios por um ex-artista da Disney de sua geração.

Para “Wrecking Ball”, Miley gravou um videoclipe no qual aparece vulnerável em um monólogo interpretando a canção. No clipe, pessoal, frágil e, ao mesmo tempo, chocante. Miley revela sua nudez, seu choro, seu desespero, enquanto a música explode ao seu redor, juntamente com a metáfora da música tomando forma enquanto uma bola demolidora destrói tudo o que encontra. O clipe possui 725 milhões de visualizações na VEVO, e é o sexto clipe mais visto de todos na plataforma.

Miley falou sobre seu período de gravação do álbum e produção do álbum à Rolling Stone, na edição de outubro de 2013. Ela disse: “Eu fiquei longe de muitas pessoas por um tempo, então eu simplesmente comecei a sentir a minha própria vibração. Comprei um par de Doc Martens. Raspei minha cabeça. Dirigi um Ford Explorer por aí. Juntei tudo isso. Foi como limpar a casa. Agora, o CD está saindo em breve, então eu estou ouvindo-o 20 mil vezes para ter certeza que é perfeito. Eu tenho que garantir que cada detalhe é perfeito. Há álbuns que as pessoas ainda estão ouvindo, como BAD de Michael Jackson, porque ele é tão foda. Eu quero que as pessoas escutem o meu álbum como esse. Eu serei a artista de muitas pessoas, então eu quero ter certeza que meu CD é o melhor que pode ser. Estou tentando definir um novo padrão para a música pop. Por isso, tenho que aproveitar.

Ela gravou a música “Adore You”, o terceiro e último single do álbum, com a compositora ganhadora do Grammy, Stacy Barthe, após “uma longa conversa” com ela. A música – a primeira faixa do álbum e a primeira a ser gravada para o álbum – fala sobre o relacionamento de Cyrus com seu noivo na época, Liam Hemsworth, numa profunda declaração de amor contemporânea. Nela, ela declara “I love lying next to you, I could do this for eternity…” (Eu amo me deitar ao seu lado, eu poderia fazer isso por toda a eternidade).

A música explodiu no iTunes, conquistando seu Top 10 na semana de lançamento do álbum, e também foi a mais elogiada em todas as reviews do álbum. Era inevitável, “Adore You” tinha que ser single.

As críticas sobre “Bangerz” também foram positivas; Nick Catucci, crítico do Entertainment Weekly, afirmou em sua resenha para o álbum que “Onde quer que suas paixões tivessem pousado antes, Miley agora está obviamente apaixonada pelo hip-hop e sua unidade perpétua para sons novos e exóticos. Bangerz pode se tratar de um fim de um relacionamento e libertar-se, mas também se lança para o futuro.”. O álbum foi mais tarde nomeado como o terceiro melhor álbum do ano pela revista.

Jon Dolan, crítico da revista musical Rolling Stone, elogiou a “ampla produção” do disco e o definiu como “um álbum que é uma bomba superanimada, no qual Rihanna-encontra-Gaga-que encontra-P!nk- que encontra-Britney.” Em dezembro, o álbum entrou para a lista dos 100 melhores álbuns do ano da revista, sendo o único álbum pop feminino na conceituada lista.

Nos Estados Unidos, “Bangerz” estreou na 1ª posição da Billboard 200, com 270 mil cópias vendidas em sua primeira semana de distribuição. Na mesma semana, cinco canções do álbum entraram na Billboard Hot 100: “Wrecking Ball” em 2º lugar e o primeiro single “We Can’t Stop” em 11º lugar; outras três, “Adore You”, “Drive” e “Someone Else”, entraram na Billboard Hot 100, respectivamente nas 42ª, 87ª e 93ª posições por suas vendas atípicas no iTunes. Até o presente momento, o disco já vendeu cerca de 1,1 milhão de cópias nos Estados Unidos.

Internacionalmente, “Bangerz” debutou na 1ª posição na parada oficial de álbuns mundial – vendendo 400 mil cópias na primeira semana. Atualmente, já vendeu 2 milhões de cópias mundialmente.

Além disso, no Brasil o álbum já vendeu mais de 40 mil cópias, recebendo Certificado de Platina pela Sony Music Brasil.

No final do ano, Miley anunciou a Bangerz Tour, que passaria pela América do Norte, Europa, América do Sul e Oceania, onde apresentaria as músicas do álbum e as daria um novo sentido audiovisual. A turnê acaba este mês, com o seu último show na Austrália.

Feliz aniversário de 1 aninho para “Bangerz”! Estamos ansiosos pela nova era que está muito próxima, e esperamos que seja tão boa quanto esta.


Publicada por: Miley Cyrus Brasil
relacionado
30.08.2020
relacionado
14.08.2020
relacionado
05.08.2020
relacionado
17.07.2020
comente a postagem!