21.07.2015

mileyvma2014Miley Cyrus anunciou no Instagram que ela seria a apresentadora no MTV Video Music Awards desse ano, servindo como a primeira mestre de cerimonia desde Kevin Hart em 2012. A intervenção das duas cerimonias contaram com performances e discursos de aceitação para manter a audiência, e ambas as vezes, Cyrus por si própria emergiu como a estrela do show. Ela é a escolha perfeita para apresentar o programa. A única pergunta é por que não aconteceu mais cedo.

O status da cantora entre os mais falados artistas pop é uma invenção relativamente recente, voltando atrás ao Video Music Awards de 2013. Naquela cerimonia a aposta de Cyrus foi em um estranho dueto com Robin Thicke e promoveu menos que performances de grandes artistas como Lady Gaga, Justin Timberlake e Katy Perry. A cerimonia, de fato, teve largamente a intuição de promover uma nascente rivalidade entre a abertura do programa com Gaga e o encerramento de Perry, mas algo entre Cyrus tornou sua atenção toda para ela, tornando poucos minutos no palco em uma escandalosa definição de sua carreira, e instantaneamente estabelecendo-a como a favorita fazedora de twerk, amante-de-ursos-de-pelúcia e problemática de nossa geração. Cyrus chamou sua performance de “uma estratégica bagunça” e a estratégia funcionou. No meio de um mar sereno de competentes dançarinos, Miley foi o entretenimento da noite.

No ano passado o VMA foi praticamente desprovido de qualquer animação, exceto pelo imapcto de Miley. As performances de Ariana Grande, Usher e Maroon 5 não foram nada comparado ao momento que Miley ganhou o maior prêmio da noite, o Vídeo do Ano com “Wrecking Ball”. O modo como ela cedeu seu grande momento para um jovem sem teto de Los Angeles, trazendo atenção para essas pessoas, provocou emoção nos telespectadores. Cyrus chorou, outros artistas pareceram não saber o que estava acontecendo, até o apresentador Jimmy Fallon, que pegou o microfone e aproveitou o momento. O momento teve um real entretenimento – onde tudo poderia acontecer – e uma adição de substância real.

Por dois anos seguidos Miley tomou conta da indústria jovem. Tornou breve momentos no holofote em oportunidades de mudar o assunto quando se trata dela: de uma artista da Disney a uma festeira louca até se tornar uma grande influência na indústria pop. Quem sabe o que ela pode fazer com um monólogo de abertura? Há uma razão para estar animado para descobrir. Se ela não tivesse sido convidada para as últimas cerimonias, não existiria assunto para se falar na manhã seguinte. O VMA precisa de franqueza e exceção de emoção sem remorso que Miley tem. Sem ela, eles seriam o Grammy.

[Fonte]


Publicada por: Miley Cyrus Brasil
relacionado
17.10.2020
relacionado
31.08.2020
relacionado
30.08.2020
relacionado
10.08.2020
comente a postagem!