18.08.2020

Miley Cyrus concedeu algumas entrevistas a rádios e podcasts para divulgar seu novo single, Midnight Sky.

O MCBR está traduzindo todas elas e agora você pode conferir a entrevista de Miley a rádio KTU logo abaixo.

Tradução: Letícia de Abreu – Equipe MCBR

Entrevistadora: 103.5 KTU the beat of NY, aqui é Carolina Bermudez, normalmente com Greg de manhã, mas hoje sou só eu e Miley Cyrus. Bom dia, Miley, como você está?
Miley: Muito bem e feliz em ver você.
Entrevistadora: Eu estou tão feliz em ver você, normalmente você vem ao estúdio e eu consigo todos os tipos de dicas, eu ainda tenho vários batons que você sugeriu a última vez que vi você e esse é um dos motivos que eu fico “ah, queria que estivéssemos em estúdio juntas” mas é muito bom ver você… Midnight Sky, me diga tudo sobre o single! Isso é muito emocionante.
Miley: É realmente muito emocionante, uma coisa que é muito única de todas as vezes que nós conversamos antes e nós nos vemos vários anos, sempre trazendo música nova, mas uma coisa que eu realmente aproveitei deste tempo é algo que eu meio que rio sobre e minha irmã mais nova definitivamente ri sobre isso, é que eu costumava criar álbuns e fazer músicas e eu ia autografar cópias físicas e meus fãs faziam filas nas ruas e isso atrapalha no processo criativo, porque você escreve uma música e não pode lançá-la por seis meses, e ainda, Dolly está trabalhando em uma música de natal que eu tive que gravar em julho, então essa é a forma como cópias físicas funcionam, mas agora você pode escrever uma música, e, eu escrevi essa música seis semanas atrás então está muito fresca e exatamente onde eu estou agora, e não tem aquela desconexão de como era antes e como está agora e agora meus fãs realmente são capazes de me ouvir em tempo real e eu nunca tirei vantagem disso antes porque eu acho que fazer um trabalho corporal, fazer uma música, sempre foi muito importante para mim e normalmente eu não apenas escrevo o single, eu escrevo um corpo de trabalho, mas dessa forma eu sinto como, eu pensei que esse tempo todo que estamos em 2020, é um bom momento para aproveitar essa nova forma de conexão. É maravilhoso que somos capazes de conversar essa manhã. E isso foi muito legal, eu soo como uma idosa, mas foi muito legal ser capaz de escrever uma música e divulgá-la e não ter que ter o tempo de inatividade e eu acho que isso sempre foi acessível para mim, eu apenas nunca aproveitei vantagem disso antes.
E: É um processo diferente e eu aprecio porque é sobre o momento e você está certa, você pode estar em um lugar diferente daqui a 6 meses quando o single for lançado e você estava naquele momento em particular.
M: E é meio isso que aconteceu, eu estava fazendo essa trilogia de músicas, eu estava primeiro fazendo “She Is Coming”, depois “She Is Here” e “She Is Miley Cyrus” e quando eu estava criando a música, quanto mais demorava, mais tempo se passava e menos conectada eu estava com as músicas porque passou muito tempo, muita evolução, muita mudança, então foi isso o que aconteceu, porque, você sabe, teve o grande término público, e eu perdi minha casa para o fogo e todas essas coisas eu já tinha escrito “She Is Coming” e então não foi divulgado até tudo isso que aconteceu, então eu estava realmente cantando, que seja “Mother’s Daughter” ou “Cattitude” ou “Party Up The Street” eu tinha todo esse trauma que eu não podia falar sobre porque eu estava cantando músicas de um tempo que eu não sabia o que ia acontecer, de coisas que não tinham acontecido comigo ainda. Uma coisa estranha é que as vezes a vida imita a arte, “Nothing Breaks Like a Heart” a sua primeira frase é “essa casa em chamas, não sobrou nada” e eu escrevi dois meses antes da nossa casa realmente pegar fogo, então às vezes a arte e a vida fazem coisas engraçadas, elas meio que se espelham umas nas outras e revelam um ao outro, mas normalmente você está cantando músicas que talvez você não se identifique e não seja tão pessoal mais.
E: Parece que você realmente ficou muito pessoal com isso e eu queria falar sobre o vídeo. Eu tenho visto as imagens no seu Instagram e eu mal posso esperar para ver o vídeo, mas dessa vez você está por dentro de tudo. Como você trabalhou no vídeo? Onde você o fez, digo, você foi para algum estúdio, como você foi capaz de fazê-lo? Ouvi dizer que você colocou muito a mão na massa e dirigiu também.
M: Sim, e é algo muito importante para mim porque eu sempre conceitualizei meus vídeos com o passar dos anos eu meio que poli minha carreira como cineasta e como todo mundo que está nos seus 20 e poucos anos, eu comecei a pensar “ok, o que vou fazer com todas as habilidades que eu coletei? ”, quer seja você ter ido para a escola,você ter feito um estágio, eu estou no mesmo lugar que todas as pessoas onde eu realmente comecei a procurar o que eu estou fazendo com minha vida como uma pessoa adulta, quem eu quero ser, e provavelmente todo mundo presume que eu já tenha descoberto isso, mas eu não descobri ainda porque este é o tipo de momento que acontece e fazer filmes foi uma parte muito importante do próximo passo para mim, como escrever e produzir e dirigir filmes, então é uma boa maneira de avaliar o quão perto ou longe este objetivo está de ser realizado e a forma é tentar, e um vídeo é uma forma incrível de fazer isso porque são apenas 3 minutos e meio.
E: é como um filme pequenininho…
M: Sim era realmente sobre mim então não precisava de muitos personagens ou ideias, então era mais para eu ver se eu poderia pegar o que estava na minha cabeça e transformar em realidade. De qualquer forma, dando realmente essas experiências aos meus fãs, seja com a turnê do Bangerz ou algo parecido com a conceituação de tornar realidade, mas eu nunca tive que fazer isso por mim mesma, e acho que é o que todos nós estamos fazendo agora, nós estamos olhando para tudo e tipo “ok, isso não vai ser feito sozinho a não ser que eu faça por mim mesma” e aqui eu vou, vamos lá fora, vamos protestar, vamos nos envolver, e eu acho que isso é como pegar de volta aquela narrativa de dizer que se eu quero que algo seja feito, eu mesma vou fazer, vou ter certeza de que é a minha história e não uma história que está sendo contada para mim.
E: Eu amo isso, Miley, você sempre foi muito verdadeira com você mesma, mas eu realmente estou sentindo muita energia boa de você e parece que você pegou esse tempo para realmente deixar sua carreira perfeita e crescer e ser melhor, então me conta sobre os significados de alguma das coisas que estão no vídeo, porque eu ouvi que todas as coisas significam algo para você ou é de alguma era da sua vida.
M: Sim, meu pai sempre inferiu em mim a importância de ter, seja metaforicamente ou metáfora visual, meu pai é assim também então toda cena, quer dizer, nós podemos conversar sobre uma coisa que eu acho que tem uma continuidade, no vídeo é a bola de disco e o que isso meio que representa é que as pessoas são atraídas e hipnotizadas por suas belezas, mas na verdade são apenas um monte de pedaços quebrados que foram colocados juntos de novo para ficarem bonitas, inteiras, completas e o que é maravilhoso é que eu acho que nós somos atraídos por estar quebrados porque nós todos vemos isso dentro de nós e daí estamos como “Não estamos tão quebrados se estamos juntos”, podemos meio que criar uma unidade e então aquela bola de discoteca que ainda é super intrigante quando a luz não brilha sobre ela, mas você pode dizer que está quebrada, mas quando a luz está realmente brilhando, é como uma glória nesse objetivo, a luz que isso reflete e o que isso cria é algo que as pessoas realmente se atraem por isso  e tem medo disso, e eu acho que isso acontece quando você passa por esse tipo de experiências que podem ser traumáticas e quebrar você, e então, o que você se torna no final uma vez que você encontra como se recompor e é muito legal e eu acho que as pessoas realmente são intrigadas com as pessoas que conseguem se recompor.
E: Miley Cyrus está deixando muito conhecimento essa manhã, isso foi muito profundo, eu nunca mais vou olhar para uma bola de discoteca da mesma forma porque é verdade a forma como você colocou isso.
M: Toda vez que você olhar você vai ver sua alma “isso sou eu, eu sou essa beleza”.
E: E a luz que está refletindo sou eu, e ela vem de dentro. Eu amo isso, mal posso esperar para ver isso. Agora, eu vi que você estava junto com a Dua, ela viu ouviu o single? O que ela achou sobre? Você tocou para ela?
M: Ela ouviu o single, e o que é engraçado é que ela e eu viemos de lados diferentes do mundo, e no fim ela disse “que deleite”, e eu fiquei tipo “eu nunca ouvi ninguém ouvir alguma das minhas músicas e chamá-la de deleite antes. É um deleite!
E: Sim, e você estava “sim, é agradável”.
M: Sim, é um banger né! E ela estava “é um deleite”. E eu pensei que isso foi muito fofo, muita classe, nós amaríamos ver isso Dua, hm, eu não muito, mas, ela e eu somos amigas há um tempo e eu pude ir visitar sua cidade natal, eu fui para Kosovo e toquei no Sunny Hill Festival com ela e então nós saímos para um passeio em Londres e tentamos encontrar essa collab e esse emparelhamento, porque nós somos muito parecidas e ao mesmo tempo muito diferentes e eu acho que isso é muito complementador para nós duas, e eu nunca fui alguém que se sente em um competição, eu sempre tento ser do tipo “vai!” e tudo que eu posso dar para um artista novo e dizer que essas são as coisas que eu tomo cuidado e formas de se proteger, mas também, ela é muito presente e sensata e super centrada, e toda vez que eu vejo ela, sempre tenho essa ideia de que ela tem tudo o que precisa para ser uma estrela. Não tem nada de comum nela, mas ela é muito normal.
E: E eu amo que vocês podem apoiar uma a outra, essa sempre foi sua vibe, e eu sinto que mulher, apoiando mulher, e você sempre foi muito franca, sabe o que eu quero dizer, então eu posso ver essa sinergia entre vocês duas.
M: O que eu realmente amo nela, é que tem algo diferente e único o suficiente nela que você sabe que ela é realmente especial e que ela tem algo realmente especial, mas também tem algo que você fica “parece que ela é tão despojada” muitas vezes, o que eu amo, porque é assim que eu sou. Se você me ver no estúdio ou algo assim, não é sempre esse tipo de pessoa pública, ela realmente coloca sua guarda-baixa e eu amo.
E: E eu queria falar com você, porque você foi tão produtiva durante e quarentena, você começou seu show no Instagram, o qual eu amei totalmente, você teve pessoas que participaram, como o Paris Hilton, Demi Lovato, você convidou vários dos seus amigos para participar. O que inspirou você a começar isso e a fazer algo para os seus fãs?
M: Eu amo fazer coisas que nunca foram feitas antes, então eu queria ter um show onde eu pudesse ter Paris Hilton e depois Elizabeth Warren. Eu me perguntava o quão contrário eu poderia ser, porque você sabe, isso é muito eu, um dia eu estou bem Paris Hilton, arrumada, e no outro estou mais à vontade e estar conversando com você.
E: Por que não? Todos podem fazer isso.
M: Quarentena foi bastante isso do “por que não? Apenas vamos fazer isso”. Eu realmente queria me conectar com meus fãs de uma forma nova que eu ainda não tinha feito, e de novo, tirado vantagem disso, e eu acho que isso é porque eu prezo muito pelo meu próprio tempo e minha vida pessoal, então…
E: Eu senti que se qualquer um pudesse estar bem durante a quarentena, essa pessoa era você porque você não é o tipo de pessoa que sempre está lá fora, você tem seus animais, você ama sua casa, eu sei que você é próxima da sua família.
M: Sim, eu com certeza prefiro, especialmente agora, ser caseira. E isso foi tão bom, é claro que teve momentos que eu estava sozinha e isso me fez me sentir menos sozinha, e era isso que eu estava tendo e dando, e é isso que eu quero em qualquer relacionamento. Eu amo fazer isso, e ela disse “você precisa colocar algo na mesa, que não esteja no seu prato” e eu estava “ok, eu não quero ir para o Instagram e ficar falando sobre as coisas que eu sinto falta”, é mais como “o que eu estou levando para você? E o que você está trazendo para mim? ” Vamos ter um relacionamento saudável, vamos dar e receber. E alguns dias eu dei mais e alguns dias eu recebi mais. Foi realmente uma dinâmica saudável com meus visualizadores.
E: Certo, e você não está morando no vazio, sabe o que eu quero dizer, você está provendo as pessoas com as coisas e eles podem ver e se conectar com você e é verdade, você também ganha alguma coisa com isso. E uma coisa que eu quero te perguntar, você se empanturrou com alguma coisa enquanto estava de quarentena, algum bom programa, ou alguma música nova que você tenha escutado?
M: Qualquer lixo que eu pudesse encontrar e uma coisa que eu tenho que me preocupar é que eu sou um papagaio, se eu ver ou ouvir, provavelmente por isso que minha linguagem é tão imunda desde que eu sou pequena, se eu ouço alguma coisa, isso fica preso e de repente eu me tornei essa pessoa, e eu não pude mais ver nenhum reality porque eu estava começando com drama, então eu estava começando a dizer algumas das falas que eu estava ouvindo na TV porque “oh, isso soa tão legal, de ser tão destemido com suas palavras e ter essa pequena vergonha”  eu tenho que ser assim então eu tive que parar antes de começar a dar vinho para o meu cachorro igual a Jessica em “Casamento às cegas”.
E: E foi isso, essa foi a linha do game over. Rapidinho aqui antes de terminarmos, uma das minhas melhores memórias foi num KTU, que acredito que tenha sido uns 3 anos atrás, você cantou Malibu, foi uma vibe maravilhosa, nós estávamos lá fora, foi tão lindo e agora nós estamos fazendo esses shows online e nós anunciamos que você vai estar no nosso iHeartRadio Music Festival 2020, como você se sente performando virtualmente?
M: Sabe, eu estava, de novo, tentando fazer minha limonada, e eu amo ser capaz de tirar vantagem do que está acontecendo e uma coisa que eu amo sobre isso é do desafio criativo porque eu sempre amei desafios e eu acho que tem um caminho para fazer as pessoas sentirem que eles podem se relacionar com a sua performance, porque é um tempo que nós realmente queremos nos relacionar uns com os outros, e você também pode dar para eles aquela cultura pop como escapatória, é como “sim, eu estou em casa, mas é meu mundo, eu quero entreter as pessoas” e há coisas boas que podem ser ditas sobre a boa e velha cultura pop.
E: Eu concordo com você e mal posso esperar para te ver performando, sei que vai arrasar e antes de eu te deixar ir, Stephanie de Nova Jersey tem uma pergunta para você que eu também quero saber a resposta: quais são as chances, Miley, de nós vermos você representar Hannah Montana em um reboot ou você consegue ver você mesma inteiramente em uma série de televisão de novo?
M: Sinceramente, eu tento colocar essa peruca o tempo todo, ela está armazenada, coletando poeira e eu estou pronta para chacoalhá-la.
E: Eu estou esperando por isso.
M: A oportunidade vai se apresentar por si mesma, eu definitivamente gostaria de ressuscitá-la em algum momento, mas ela precisa de uma boa reforma, porque ela ficou presa em 2008, então nós precisamos ir fazer compras com a Senhora Montana e também eu adoraria fazer uma série de novo, eu acho que seria difícil para mim ficar presa por alguns anos nisso, mas em algum momento do futuro e esperançosamente eu que estarei dirigindo.
E: Bem, Miley, eu acho que você consegue fazer qualquer coisa que você foque em fazer, você é incrivelmente talentosa e eu sempre amo conversar com você. Obrigada por se juntar a nós hoje e queria lembrar a todos sobre Midnight Sky, confiram! Nós te amamos Miley, obrigada e quando estiver em Nova Iorque a próxima vez e você puder visitar, você tem que vir para o estúdio de novo.
M: Eu vou! Obrigada. Tchau.
E: Tchau, se cuida.

Você pode conferir todas as entrevistas recentes de Miley traduzidas clicando aqui!


Publicada por: Elton Junior

Deprecated: WP_Query foi chamado com um argumento que está obsoleto desde a versão 3.1.0! caller_get_posts está depreciado. Utilize ignore_sticky_posts no lugar. in /home/mileybr/public_html/wp-includes/functions.php on line 5062
relacionado
04.12.2020
relacionado
04.12.2020
relacionado
04.11.2020
relacionado
25.10.2020
comente a postagem!