19.08.2020

Recentemente Miley Cyrus concedeu entrevista ao Zach Sang Show onde falou sobre seu novo single Midnight Sky, nova álbum, Nick Jonas mullets e mais!

O MCBR está traduzindo todas as entrevistas recentes de Miley e você conferir mais essa logo abaixo.

Tradução: Débora Brotto & Giovanna Bianchi – Equipe MCBR

Zach: Olá! Você está maravilhosa!
Miley: Ganhei minha manhã! Você vai me fazer chorar.
Zach: Mas você está maravilhosa, primeiro de tudo eu estou conseguindo ver exatamente o que eu absorvi de todas as imagens e fotos desse seu novo momento na música. É você, com esse seu cabelo, e obviamente segurando o microfone, todo o cenário…
Miley: Meu microfone está aqui…
Zach: Isso, é literalmente isso.
Miley: Sim, é como ver o Mickey Mouse nos bastidores da Disney. E eu preciso te falar, uma das melhores coisas de ter crescido na Disney foi isso. Eu não sei se eu tenho permissão para falar sobre mas vou dizer… Geralmente é dessa forma que eu arrumo problemas. Eu sempre tive acesso livre aos bastidores dos parques até que um dia eu dei de cara com o Peter Pan fumando um cigarro. E eu acho que foi isso, as pessoas me perguntam quando as coisas começaram a dar errado comigo e eu acredito que tenha sido exatamente nesse momento…
Zach: No momento em que você viu um adulto, vestido com roupa verde, fantasiado de Peter Pan, fumando um cigarro.
Miley: Eu acho que eu olhei para aquilo e pensei: incrível, eu vou copiar isso! Daqui alguns anos você provavelmente me verá fazendo a mesma coisa.
Zach: E então… Miley Cyrus! Nós estamos conhecendo uma nova Miley hoje, diferente da que já conhecemos no passado?
Miley: Você me conhece. Você sabe que eu sempre serei a mesma pessoa, que saía com você o tempo todo. Mas, obviamente com mais experiências na vida, com uma nova história para contar. E eu realmente não acho que seja uma nova saga mas apenas um novo capítulo da minha vida. E em geral eu acho que todos estamos sentindo que está no momento de expressarmos nossa própria narrativa e nós ganhamos aquele controle sobre quem somos e o que é aceitável ou não para nós. E essa música, Midnight Sky, eu acho que é exatamente sobre algo que todos nós estamos presenciando e experimentando. Eu sinto que estamos acordando. E Midnight Sky, mostra um pouco que é bom estarmos com a cabeça nas nuvens. Eu sinto que a sociedade dita que não podemos viver com nossas cabeças nas nuvens mas eu acho que ás vezes é exatamente por isso que eu crio novos “mundos’ como esse, porque é meio que uma ideia minha, de viver com a minha cabeça em fantasias minhas, do meu próprio mundo que eu quero criar, então eu acho que é uma mensagem legal para passar para as pessoas “Crie o espaço no mundo no qual você queira viver” e eu acho que isso está acontecendo em um nível muito político no momento mas o que podemos fazer principalmente nesse momento de quarentena, em que estamos nesses locais íntimos que são nossas casas, é a criação desses espaços confortáveis para nós como se estivéssemos com “a cabeça nas nuvens” e esse aqui é o meu.
Zach: E eu quero começar te perguntando sobre o que te faz parar e o que te motiva a criar? Porque ambos definem momentos, certo? Alguma coisa precisa ser seu gatilho para pensar em algo e ir em frente com aquilo, que te faça abrir os olhos.
Miley: Eu acho que pensando no sentido de uma geração… A minha geração e até uma geração abaixo de mim, da minha irmã mais nova. Estamos falando sobre problemas passados… como por exemplo, agora estou comemorando anos do lançamento de Party in the U.S.A e eu paro para pensar “onde estava minha cabeça quando eu estava lançando essa música?” e eu não tinha todo o conhecimento sobre o que aquilo realmente significava. Como sobre o que nosso país construiu e o que eu gostaria de ver de diferente nele e isso é uma questão de que quando crescemos, começamos a ver com outros olhos e acordamos para isso. Mas eu acho que isso já começa a acontecer de uma maneira mais rápida, para essas novas gerações, do que foi para mim. E eu também percebo que a quarentena foi um presente para nós nesse sentido. No começo da quarentena, estavam todos falando “eu só quero voltar ao que era antes” e é realmente isso? Porque eu acho que não. Eu acho que queremos remodelar as coisas, porque a vida é isso, vamos lá!
Zach: Mas você sempre amou mudanças e a conversa que tínhamos antigamente era sobre as pessoas ao nosso redor terem medo de mudanças e seu pai é uma dessas pessoas. Elas existem!
Miley: Ele realmente não muda! Eu acho que como qualquer outra pessoa, eu não amo mudanças, porque elas podem ser muito dolorosas, na verdade eu tenho uma relação muito compreensiva e saudável com elas.
Zach: Quando machuca, como você sabe que foi necessário?
Miley: Machuca de uma forma boa eu acho…
Zach: E ás vezes você pode se arrepender das mudanças…
Miley: Eu não acho que dá para se arrepender de uma grande mudança. Porque eu acho que você quer ser uma pessoa da qual você sinta orgulho. E às vezes é bom escrever qualidades suas em um papel e olhar para elas. Uma coisa que eu amo sobre mim é que eu sou muito leal. Isso às vezes me coloca em alguns problemas, mas eu sou realmente muito leal e amo isso sobre mim. Uma coisa que eu não gosto sobre mim é que isso pode ser o meu melhor, mas ao mesmo tempo pode me cegar. As pessoas costumam falar “ah você é muito fod*na, você é muito forte” sim eu sou mas até certo ponto. Colocando em uma balança, eu prefiro ser essa pessoa super leal e amorosa, e acabar tendo o coração partido por ser tão entregue e aberto e está tudo bem!
Zach: A lealdade realmente me intriga. Você é realmente leal a qualquer coisa ou você diz no sentido de ser leal a alguém que você sinta certa conexão?
Miley: Eu sou apenas super leal. Meus pais são extremamente leais e isso simplesmente me envolveu. Meu pai chega a ser até em um nível não saudável mas eu amo isso nele. Nossos pais geralmente não nos dão todas as ferramentas que precisamos para sobreviver porque eu estava pensando aqui que eu sou uma pessoa forte, porque a vida, o amor, são duros. E, na verdade, eu até estava falando sobre isso essa manhã. Eu não sei se tenho um futuro nisso mas em algum momento, eu quero fazer uma linha de livros realistas para crianças para contar a realidade para elas. Eu sei que isso parece pessimista mas não é, é apenas realista e eu acho que estaremos situando as crianças, para eles entenderem que na verdade o cachorro não fala com o gato, o cachorro quer comer o gato. Nós precisamos falar para eles saberem isso.
Zach: E vai ter alguma criança que vai pensar “eu vou inventar uma maneira de fazer meu cachorro se comunicar com o gato.
Miley: Sim, isso! Essa é a geração Z, é por isso que eles estão dominando o mundo inteiro. Eu tenho certeza que alguma criança já está trabalhando nisso, uma coleira que faça o cachorro se comunicar. Eu tenho uma coleira para o meu cachorro que eu amo que coça meu cachorro toda vez que ele late. Eu não quero calar ele nem nada, mas você também pode gravar e tem algumas coisas já gravadas e fala que ele é uma besta quando late. E isso me faz sentir melhor e nme ligo tanto assim para o latido mais.
Zach: Isso deixa o trabalho feito.
Miley: Sim. E só seguimos em frente. E eu faço coisas muito piores perto dos meus cachorros. Meu cachorro a pior coisa que faz é latir, ele é muito, muito, muito leal. Eu amo Emel.
Zach: E se você só pudesse ter cores em tudo o que mexe diariamente?
Miley: Sim, essa é outra linha que estou trabalhando.
Zach: devagar e sempre.
Miley: Sim, sou uma empreendedora. Livros realistas para crianças e cores para pessoas.
Zach: Eu tenho que pausar (PROPAGANDA)
Pessoa X: O mullet é a parte mais importante dessa nova era de Miley Cyrus?
Miley: O mullet é a parte mais importante da história da família. Meu pai, na verdade, inventou um mullet muito específico chamado “the kentucky waterfall” e o meu, meu pai me perguntou sobre o tipo que eu tenho. Meu pai me disse o nome, é mais inglês, ele disse pra minha mãe que quando cortei o cabelo parecia o Roger Stuart e eu não estou brincando. Ele me chamou de pequena Roger por 3 semanas até que cresceu um pouco. Mas também representar um pouco de Joan Hett, Debbie Harry, sabe, essa ideia que, de novo, em muitas culturas existe uma conexão espiritual entre cortar e permitir que mude o caminho, então, toda vez que eu evoluo, eu encontro as tesouras. Eu sou muito, eu uso meu cabelo conforme eu estou sentindo. Dá para saber quando estou brava, sou muito aberta nesse sentido. Meu cabelo geralmente fala o que está acontecendo.
Zach: Vamos entrar na sua música. Porque você mencionou alguns nomes importantes: Joan Jett, não sei se falou steven Nicks, mas você está pegando uma tocha e reacendendo. Talvez seja errado dizer reacender, talvez só estivesse mais fraca por um tempo porque é um tipo de música que não necessariamente não existia, mas a gente precisava, mas…
Miley: Na verdade é engraçado você falar isso de passar o bastão porque eu tive a benção de Steve Nicks nessa música porque tem um tipo de tom dos anos 70 e eu pedi para ela porque essa música tem o espírito e magia dela, na verdade toda a mensagem. Esse tipo de artista que eu quero ser é o que você foi pra mim. É o que espero ser para outras pessoas. E quando eu me senti sozinha, Steven Nicks estava lá pra mim, saiba ela ou não, como a conexão com os meus fãs, então foi abençoada por ela e foi a coisa mais legal que já aconteceu comigo.
Zach: O álbum é o equilíbrio perfeito entre passado, presente e futuro, é tão atual, mas parece de ontem e a melhor parte de ontem. Tem alguma responsabilidade?
Miley: Eu acho que essa é a parte importante da minha jornada. Eu na verdade ia postar esse vídeo esse final de semana, eu preciso achar porque é hilário, sou eu tocando Smells Like Teen Spirit na turnê da Hannah Montana e todos os fãs estão sem saber o que está acontecendo e a melhor parte é que só uma mãe está cantando e todas as outras mães estão surtando. Meu irmão foi comigo para a turnê e ele estava me perguntando se eu tinha certeza e eu tinha sim. Queria tocar isso com o meu irmão. Foi uma parte importante da minha carreira. Desde o começo foi bem importante que quando eu falo desse álbum, não é uma ideia nova, se você olhar minha carreira como um todo, tem sempre uma pegada de punk rock. De novo, não é uma ideia nova. Foi bem engraçado eu fazer esse álbum porque essa música é a mais pop e o álbum vai mais para outro lado e eu estava pensando nisso e como e como não é uma nova ideia e só aceitei porque eu usei fazer esse álbum como uma ameaça para a minha equipe. Depois do último álbum, eu disse que tentaria só mais um de pop e se não conseguisse mais dormir a noite eu faria um de rock. E eles estavam “por que você está esperando? Você nunca espera! “ e eu pensei que eles tinham razão, eu não sei porque estava ameaçando com um álbum que parece o próximo passo certo para mim. Eu só pensei, de novo, em ir com o pop que é o que eu sei fazer, mas não é quem eu sou. Então, de novo, eu comecei a fazer o rock.
Zach: Mas o que você sabe é o que você tem feito até hoje e sempre tem essa pegada. 7 things, fly on the wall…
Miley: Meu Deus, na época, em 2007, isso era incrível. Eu fui incrível.
Zach: Aliás, você estava falando de Teen Spirit e de ter tocado na turnê da Hannah Montana. Como foi isso? Você contou pra alguém que faria isso?
Miley: Só minha mãe, que é uma doida. Minha mãe é louca. Se você perguntar que dia é hoje ela diria alguma coisa de 1983 provavelmente.
Zach: Porque eu imagino que na época você estava quebrando uma regra, essencialmente, fazendo uma música como essa em grandes arenas e provavelmente estádios e crianças na Austrália.
Miley: Eu nunca fiz nada que não foi divertido e questionável primeiro. Nada que foi divertido eu perguntei antes. Então essa é a regra. Não pergunte. A não ser para mulheres, para elas vocês perguntem e respeitem.
Zach: Amém. Você implora por desculpas? Porque normalmente a frase é “Não implore por permissão, implore por desculpas”.
Miley: Eu não imploro. Isso não sou eu. Mas eu também sei ir deixando levar. Eu posso fazer umas coisas assim na turnê, mas eu também acho que minha honestidade é parte do meu charme.
Zach: Você está com o álbum pronto para lançar?
Miley: Eu postei uma foto no estúdio recentemente com a Dua Lipa e pedi pra ela ir ouvir, mas assim que ela saiu eu pensei que deveria dizer que eu mudo e evoluo muito rápido para ela não pensar que eu menti quando ela comprar meu álbum porque, espero que ela compre meu álbum, mas escute de alguma forma, porque parece “hey ouça aqui meu álbum de mentira”, sabe uma sabotagem do pop ou algo. Deixa você ouvir uma coisa e lança outra.
Zach: Alguém faria isso
Miley: Exatamente. Tocar algo ruim para que ela pense não, tudo bem…
Zach: Sem competições aqui.
Miley: Sim e ai lanço um Bangerz. Mas eu não sabotei Dua Lipa, só evoluo muito rápido e é o jeito que quero que saia. Eu sou tão louca que eu estava gravando um novo clipe sábado e na segunda eu falei com Andrew Watts sobre lançar a música e ele “todo mundo já está pronto para a outra e você está escrevendo um clipe há 30 minutos” e eu “nós podemos fazer isso”. Começamos a escrever e eu nem cortei nada e é isso. Enquanto eu tenho uma câmera e um estúdio eu vou ajustar essa música. Eu escrevi a música só 4 semanas atrás, mas sabe, isso funciona pra mim e é isso que sempre odiei sobre álbuns, especialmente lá em 2000 quando você fazia via física porque eles te entregavam meses antes e você não tinha liberdade de ‘hey eu fiz algo hoje e vou lançar amanhã’ porque para alguém como eu que muda tão rápido é importante que só lançamos isso quando é relevante porque pode não ser daqui a pouco.
Zach: Realmente e te mantém animada.
Miley: Total. É uma benção. Eu amo cópias físicas. Eu estava até dizendo que ia mandar cds e vinis para os meus fãs, mas por que? Eles nem sabem onde e como tocar isso. A única pessoa que pode tocar isso em seu carro é meu pai em sua caminhonete. E ele tem o espaço para o cd e o ipod. E ele só ouve a mesma coisa e no ipod, mas ele não se desfaz porque diz que deixa pela gente. Mas a gente não quer ouvir nada num cd! O áudio sequer é o mesmo, só esquece.
Pessoa X: O que estava acontecendo quando foi para Andrew Watss e disse que precisava escrever sobre Midnight Sky e o que ela deveria ser?
Miley: Eu percebi que havia algo desconexo entre a minha verdade, a minha narrativa e a percepção do público, pra variar. E eu acho que acabou me mostrando uma visão cronológica dos meus últimos dois anos. Eu acho que foi muito importante porque foi como eu ter construído uma ponte entre esses dois momentos… Uma linha de pensamento que eu gosto é de não pensar mais em nada “para sempre”, e eu digo isso em relação à falhas. Estou falando sobre uma pessoa jovem, por exemplo, que fala “essa é minha melhor amiga para sempre” e o que eu quero dizer é: quantos de nós realmente ainda possuem como melhor amigo para sempre, a pessoa da qual disse isso? Então eu sinto que nós não vemos o “para sempre” como algo real e sim como uma falha. E eu quero aceitar isso porque existem relacionamentos que são só de momento e eu também quero aceitar que eu sou a vilã de me envolver e depois achar que uma relação é passada, porque eu olho para os relacionamentos e eles vem e vão e eu vejo isso de uma forma que é sempre um jogo, nunca uma perda, simplesmente uma experiência. E eu realmente acredito que essa música seja sobre eu alinhar novamente minha narrativa, de parar e pensar: essa é minha história, eu não preciso contar sobre um relacionamento de 10 anos que eu tive a partir de fotos, você não consegue saber a história inteira pelas fotos. Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras e eu não acredito isso.
Zach: Mas uma música vale, certo?
Miley: Sim, uma música vale, provavelmente mais que mil palavras.
Zach: “Fogo na garganta e língua solta”. O que isso significa?
Miley: Essa sou eu dizendo coisas que eu não queria, sendo rápida em devolver respostas, ás vezes, e eu tive um momento bem difícil sobre acabar falando demais e isso me causou muitos problemas e agora eu sou uma adulta que sei que minhas palavras definem meu caráter e eu dei duro para conseguir aprender a controlar as coisas que eu falo.
Zach: Suas palavras se igualam ao seu caráter.
Miley: Isso é verdade. É tipo “por que você disse isso” “eu não quis dizer isso!” “então por que você falou?”. O que você diz, o que você faz é quem você é. E novamente, aquela coisa de escrever sobre o que você gosta e não gosta sobre você, quando eu escrevo, eu não gosto de saber que eu falo coisas que magoam as pessoas, isso é algo que eu não quero que as pessoas achem que eu seja, então estou trabalhando nisso. Eu não falo mais “essa é quem eu sou”, não, não é assim. Temos que parar com essa história de “é assim que eu sou” ou “é assim que fui criado”, não!
Zach: A evolução é possível!
Miley: 100%, mas é bem dolorida, então…
Pessoa X: Você continua não fumando? Porque em festas, normalmente bebemos, fumamos…
Miley: Eu não estou fumando no momento mas também não procuro ser “a cara da sobriedade”, obviamente eu sou uma ativista e eu penso muito sobre a minha opinião o tempo todo, sobre o que é um fato ou um erro. Então eu sei que para mim, pessoalmente, estar sóbria significa que consigo fazer meu trabalho direito e eu realmente preciso dessa clareza, porque eu passei por alguns traumas nos últimos dois anos e eu precisava lidar com isso de uma forma “super sóbria” e, novamente, não pensar mais no “para sempre” é meu novo lema! Eu não posso dizer que vou viver minha vida dessa forma para sempre, mas no momento parece o certo e está me fazendo bem.
Zach: Miley Cyrus eu tenho uma admiração muito grande por você e pela artista que você tem mostrado ser aqui e no mundo!
Miley: E eu tenho muita admiração pelo seu programa!
Zach: Ah, meu Deus! E, só para lembrar, você tem uma música de sucesso!
Miley: Você meio que ajuda nisso então manda ver!
Pessoa X: Miley posso te fazer uma pergunta sobre fofocas que estão rolando?
Miley: Sim.
Pessoa X: Eu vi que as pessoas estão muito animadas por você estar seguindo Nick Jonas no Instagram!
Miley: Eu estou seguindo Nick Jonas no Instagram… você já deu unfollow em alguém sem perceber e sem nem saber o porque daquilo ter acontecido?
Pessoa X: Sim.
Miley: Minha conta dá unfollow nas pessoas ás vezes e elas vem me chamar perguntando o motivo e eu só sei que não havia dado unfollow nelas! Eu acho que alguém entra no meu Instagram para dar follow e unfollow nas pessoas só pelo drama que isso gera. Eu sigo o Nick desde a época que eu estava postando os #TBTs no meu Instagram, há um ano atrás e eu tenho inclusive uma foto épica saindo de um aeroporto com uma camiseta vintage dos Jonas Brothers, nós estamos nos seguindo desde então.
Zach: Toda nossa admiração por você, Miley Cyrus! Muito obrigado!
Miley: Obrigada pessoal!

Você pode conferir todas as entrevistas recentes de Miley traduzidas clicando aqui!


Publicada por: Elton Junior
relacionado
20.09.2020
relacionado
19.09.2020
relacionado
17.09.2020
relacionado
11.09.2020
comente a postagem!