07.09.2020

Recentemente Miley Cyrus abriu a edição especial do Live Lounge da BBC Radio 1 com performances incríveis de seu novo single Midnight Sky, além de covers e uma performance de Slide Away.

Além disso, Miley também concedeu nova entrevista a rádio britânica e você pode conferir a tradução logo abaixo.

Tradução: Lara Moraes – Equipe MCBR

CLARA: É um prazer ter, diretamente de Los Angeles, Miley Cyrus. Como nós sabemos, você não é estranha no Live Lounge, você é a nossa primeira artista no Live Lounge de 2020, o remix como eu estou chamando. Como você se sente em ser a primeira?
MILEY: Eu me sinto como se fosse uma casa para mim de algum modo se tornou uma parte estável de qualquer coisa que estou fazendo e eu acho que a ultima vez que eu me apresentei no Live Lounge, foi com ‘Nothing breaks’ com o Mark e essa é uma das primeiras vezes que eu estive no Live Lounge sem as minhas pessoas, especialmente porque significa que eu estou em uma turnê europeia quando isso acontece, e é interessante. Como você disse, definitivamente um remix, mas eu estou feliz de ser a primeira e estou ansiosa quando nos reunirmos de novo.
CLARA: Vai acontecer. 2021 de novo ok? Vamos escutar Midnight Sky, e ela é como uma introdução para sua próxima era na vida como artista e nos conte sobre a música. Como que ela veio a você?
MILEY: Eu acho que a parte mais difícil de decidir o seu primeiro single em um conjunto é que essa música vai, de certa forma, criar um caminho para o que virá. Eu acho que as pessoas irão achar que é assim que vai soar o álbum, então existe uma pressão muito grande em lançar o primeiro single e eu achei que em relação à letra e à música, isso é uma boa reflexão do que eu estou indo. Eu estou tentando fazer meus álbuns uma jornada e tentando terminar como uma obra e ele chega lá, vai para muitos lugares e eu senti que se tivesse que escolher uma musica do álbum, essa seria uma que refletisse aonde vai o álbum e foi a musica mais recente, eu escrevi ela há 6 semanas atrás, então eu achei que fosse uma hora boa de poder dizer “hey aqui é onde eu estou agora”, tem álbuns que você pensa demais e tem meses de diferença de quando você escreve e de quando você lança, e eu pensei que essa é onde eu estou mais eu no momento e que reflete mais no período que estou.
CLARA: Acabou de sair do forno, e a gente ama.
MILEY: Ainda está quente.
CLARA: Ainda está quente. Miley Cyrus, Midnight Sky.
CLARA: Ok Miley você nos deu os vocais, amamos os arranjos, e amo a sensação que essa música entrega.
MILEY: Eu concordo. Eu acho que essa música, de novo, é fresca e crua. Um sentimento, eu acho que tem sido um tempo bem reflexivo para todos e é por isso que eu escolhi a bola de disco que representa a música, e de novo, estamos todos refletindo agora.
CLARA: Claro, claro. De bola de destruição para uma bola de disco, eu gostei.
MILEY: Exatamente.
CLARA: Eu consigo ver o crescimento. Eu sinto. Além de cantar o seu novo single hoje, você vai cantar uma música extra, que vai ser “Slide Away”. Você pode nos contar sobre ela, porque pelo que eu lembro que foi uma música inspiradora para nós escutarmos na época, porque fui brutalmente honesto e eu vejo que muitas pessoas não estavam te esperando muito cedo depois do que aconteceu na sua vida na época.
MILEY: Eu acho que “Slide Away”, uma das razoes de eu querer ter usado ela foi para mostrar um ponto de referencia do meu crescimento e de toda a minha jornada no ultimo ano e meio, porque eu acho que dá pra perceber onde eu estava, onde eu estou e aonde eu estou indo. Então eu acho muito importante que “Slide Away” faça par com “Midnight Sky” porque é um ponto de referência interessante. Entao, de novo, como falamos sobre as minhas escolhas de música, eu tentei fazer uma ponte e eu acho que mostra um sentimento como as duas pontas do arco-íris.
CLARA: Sim, porque existe uma vulnerabilidade em “Slide Away” e em “Midnight Sky” mostra mais do “essa sou eu”.
MILEY: Sim. É quase como ver algo que está quebrado e ai ver essa coisa de novo consertada, e é por isso que eu usei os globos de disco, é como uma metáfora e é o que uma bola de disco é, pedaços quebrados que foram colocados juntos de novo e de alguma forma cria esse ser maravilhoso e esplendido e é o que esperamos que nos tornemos, pegar os nossos pedaços quebrados e nos juntar de um jeito bonito e também eu amo como as pessoas se atraem por bolas de disco, alguma coisa sobre estar quebrado e a sua reflexão e normalmente é onde a festa é, debaixo daquele objeto quebrado e é uma metáfora muito legal para onde eu estou.
CLARA: Claro. Vamos escutar. Essa é “Slide Away”, Miley Cyrus no Live Lounge.
CLARA: Essa foi “Slide Away” e definitivamente, como você disse, a gente consegue ver crescimento de que era onde você estava e “Midnight Sky” é onde você está e agora a gente vai voltar, para o que eu acho, o começo de Miley.
MILEY: Sim. Eu acho que é sempre bom ter essa história para contar. É isso que eu amo sobre “The Eagles”, que todas as músicas deles são tipo…. eu cresci escutando música country, ou Steve Nicks. The Eagles foi mais presentes na minha juventude e eu acho que foi nesse momento que eu comecei a aprender a contar historias nas minhas musicas, e as vezes elas são fantasiosas quando eu crio e tem vez que é exatamente o que está acontecendo e passar dos limites agora reflete no que eu estou passando no momento. Eu perdi a minha avó. A perda faz parte da vida de todo mundo e eu quero continuar conectada com esse tempo que parece um desafio e eu acho que eu falar de perda e dor te faz senti menos sozinho.
CLARA: Como você disse, se tem uma coisa que a gente garante na vida, é que vamos ser a perda de alguém.
MILEY: Sim, absolutamente. E eu acho que te faz olhar para a sua vida de uma forma nova e toda vez que você perde alguém que amamos nos faz celebrar o que estão com Deus. Eu acho que checar a realidade pode ajudar muito nesses tempos.
CLARA: Concordo 100% e estamos animados para ouvir essa carta de amor para a sua avó, a lendária Loreta, vulgo Nanny. Este é o cover da Miley Cyrus de “The Eagles”, Keep To The Limit.
CLARA: Isso foi muito lindo.
MILEY: Muito obrigado.
CLARA: Eu senti que você estava pensando nela com cada palavra cantada.
MILEY: Sim, e eu acho que vai ser assim por um tempo. Ela é uma estabilidade que eu tinha na minha vida, especialmente porque ela foi em muitos dos meus shows e ela tinha tipo uma cadeira VIP com um gatinho de pelúcia, porque ela não gostava de sentar nas cadeiras que tinham na plateia, então aquela cadeira era um momento que eu via a minha avó toda noite assistindo os meus shows, meu irmão estava abrindo o show pra mim, então ela conseguia ver ambos os netos todas as noites, então era maravilhoso.
CLARA: Hoje você está nos mimando não só com um, mas dois covers e está na hora do seu segundo. Você está tomando o trabalho da senhorita Billie Eilish. Você se vê muito nela?
MILEY: Eu vejo a minha irmã menor muito nela e eu vejo aquela geração de alerta é muito novo e fresco, e eu amo a ideia que estamos nos apaixonando por nós mesmos e eu acho uma coisa tão importante porque hoje em dia há muitas ideias irreais do que as mulheres devem ou não devem parecer ou quais são as nossas prioridades, e para mim, eu cresci em uma era que não era legal vestir moletom no palco. Eu cresci em m tempo em que você tinha que vestir um macacão e ter coreografia, e é uma geração diferente e muitas das artistas femininas estão ganhando esse poder de dizer “eu sou uma artista e eu me visto da maneira que eu quero refletir quem eu sou”. Eu vejo um modelo saudável para garotas como a minha irmã mais nova, então nesse quesito, eu vejo algo que consigo me identificar com ela, porque eu sinto que eu tive muito alerta, sempre encorajei os artistas a usarem a sua voz e não apenas para nos entreter, mas para fazer mudanças e eu sempre vejo a Billie lá fora sendo ativista primeiro, esse é o tipo de artista que eu quero, canto, atriz, ativista, são importantes. Uma coisa que eu achei muito engraçado foi que se falarmos sobre a Lana, Lana Del Rey acho que foi um dos primeiros covers que eu fiz no Live Lounge e agora fazendo um da Billie Eilish e tem gente falando que eu, Billie e Lana devíamos começar uma banda chamada “Billie Rey Cyrus”. Se a Billie, Lana Del Rey e Miley Cyrus seria “Billie Rey Cyrus” eu achei uma ideia incrível.
CLARA: Está escrito nas estrelas, tem que acontecer em algum momento. Realmente tem.
MILEY: Eu concordo.
CLARA: Vamos escutar! Essa é Miley Cyrus e a sua versão de “My Future” de Billie Eilish para o Live Lounge 2020.
CLARA: Miley você fez de novo. Você nunca soa de um jeito diferente.
MILEY: Eu acho que uma coisa que eu amo sobre covers é poder interpretar algo e pegar não apenas o que você vê, sabe…. eu nunca segui as cores por números, eu só escolhia as cores que eu queria independentemente do numero, então eu acho que é tipo o que eu imagino que um cover expressa, olhar uma cor por numero e falar “isso são só sugestões” e você pode interpretar da maneira que você quiser e eu acho que é o tipo eu faço com os meus arranjos.
CLARA: Definitivamente nós escutamos. Escolha suas próprias cores. Miley Cyrus muito muito obrigado por cantar no Live Lounge de 2020. Miley obrigado.
MILEY: Muito obrigado.
CLARA: Nos vemos em 2021 com um abraço enorme.
MILEY: Sim, por favor. Muito obrigado gente.

Você pode conferir todas as entrevistas recentes de Miley traduzidas clicando aqui!


Publicada por: Elton Junior
relacionado
20.09.2020
relacionado
19.09.2020
relacionado
17.09.2020
relacionado
11.09.2020
comente a postagem!