18.09.2021

O Henry Maier Festival Park ficou pequeno para Miley Cyrus na noite de ontem (17). A cantora reuniu um público de 23 mil pessoas, o limite máximo do local, para assistir o seu show no festival Summerfest em Milwaukee, Wisconsin.

Além de uma setlist recheada de hits, semelhante aos seus últimos shows em festivais, Miley trouxe um convidado especial para subir ao palco durante a canção “23“: o rapper Wiz Khalifa, que abriu seu show e animou o público antes de subir ao palco.

Fãs presente no local disseram que Cyrus estava totalmente feliz ao realizar seu show, ela interagia bastante com o público e também chegou a dizer que aquela noite foi a melhor do mundo. Ao longo dessa interação, Miley revelou que quase teve um ataque de pânico antes de subir ao palco e que sua banda era como uma família e que estava muito feliz de fazer música para todos os presentes.

A seguir, confira todos os detalhes da performance apurados pelo Miley Cyrus Brasil:

Setlist

[Clique nos nomes para conferir os vídeos completos]

We Can’t Stop + Where Is My Mind? [Pixies cover]

WTF Do I Know

Plastic Hearts

Heart of Glass [Blondie]

SMS (Bangerz)

DOOO It! + Love Money Party

23 [com Wiz Khalifa]

Malibu

Nothing Breaks Like a Heart

Maybe [Janis Joplin]

7 Things

Bang Bang (My Baby Shot Me Down) [Cher] + See You Again

Midnight Sky

The Climb

Can’t Be Tamed

Wrecking Ball + Nothing Compares You [Sinéad O’connor]

Party in the U.S.A.

Antes de deixar definitivamente o festival, Miley correu para se despedir de seus amigos Katy e Wayne Coyne que estavam com sua filha Bloom. Por motivos de segurança, a cantora deixou o local escoltada de policiais.

17.09 | Thread de fotos de Miley Cyrus no Summerfest:

Publicações de Miley Cyrus no Instagram

Quem se lembra do drama do Twizzler? 2 garotas e 1 Twizzler”

Ei! Isso tá ligado?! Passagem de som do Summerfest fotografado por @vijatm

MC And The TV’s

Após anunciar a conta oficial de sua banda no Instagram, Miley publicou a primeira foto de sua equipe juntos em uma passagem de som confirmando sua formação completa. A banda é formada pela cantora, Stacy Glen Jones, Mike Schmid, Chris Chaney, Jamie Arentzen, Max Phronbernstein, Ayo Awosika, Aaron Encinas e Dani Moz.

Curiosidades

Os brasileiros Yasmin Ferreira e Lucas Pedroza marcaram presenta no Summerfest para representar todos os brasileiros. Ambos levaram uma bandeira do Brasil e confirmaram que Miley viu durante a performance, apontando para eles e sorrindo.

Uma fã presente no local teve o privilégio de assistir todo o show através do backstage ao lado dos dois grandes amigos de Miley: Katy e Wayne Coyne. A mesma conseguiu tirar uma foto com a cantora ao final do show que mostra David Russell, novo empresário de Miley, ao fundo.

Discursos de Miley durante o show

“E estamos permitindo que as pessoas nos vejam em nossos estados mais vulneráveis, isolados, feridos e amedrontados e acho que há algo realmente fortalecedor [nisso]. Tento buscar o poder em tudo ao invés da perda ou do que se foi, mas o que está aqui agora não seria sem a sequência dos eventos que enfrentamos não apenas na pandemia, mas na vida. Enfrentamos coisas que não estavam em nossos planos, mas eles talvez já estavam nas nossas cartas de uma forma mais destinada e fatídica, e às vezes não sabemos o que é melhor para nós ou o que a vida vai nos ensinar mais e, honestamente, o que mais nos ensina é geralmente tão doloroso que nunca nos colocaríamos nesse tipo de crescimento forçado, mas isso acontece. Então todos nós experimentamos isso juntos, não apenas como um país, mas como mundo. Uma coisa que eu queria dizer porque acho que, como uma artista, às vezes você não quer deixar essa ilusão, porque de alguma forma é um personagem, muito parecido com a minha série de tv que eu estive por 10 anos. Eu acho que todo mundo tem uma Hannah Montana que os protege de alguma forma. Algumas pessoas expressam essa identidade separada com o meu tipo favorito, que é drag, que eu gosto de pensar em mim como uma drag queen super glorificada e paga, mas isso é além do ponto. O que eu queria dizer a vocês é que, algumas músicas atrás, quando as luzes estavam apagadas, eu cheguei no Stacy, que me conhece desde os 12 anos. Estamos nessa banda juntos desde os meus 12 anos e eu disse: ‘Sinto que vou ter um ataque de pânico’- Não, o meu look é muito bom, eu não vou a lugar algum, só quero falar para vocês sobre a experiência. E essa experiência aconteceu porque, como todo mundo no último ano e meio, eu estava trancada e isolada e é muito impressionante estar de volta a um lugar que costumava ser como uma segunda natureza. Estar em palcos costumava ser como estar em casa, e não é mais assim por conta do tempo que passei em casa trancada e isso é muito drástico. Então, para mim, e para cada um de vocês, ser parte de uma pandemia foi surpreendentemente assustador e sair dela também é um pouco assustador. Só queria ser honesta sobre como estou me sentindo, pois eu acredito que ser honesta sobre isso me deixa com menos medo porque todos nós vivenciamos isso juntos. Por último, sem querer dar um grande discurso, mas a última coisa que eu queria dizer- Enquanto faço um grande discurso, mas ao mesmo tempo não, mas estou fazendo. A contradição nunca para. Por último, saber que todos vocês, eu não sei quantas milhares de pessoas estão aqui agora, mas saber que todos vocês estão aqui, ao invés de me assustar me trouxe mais conforto porque estamos fazendo essa merda há muito tempo: eu e vocês. E se eu fosse uma artista nova e não soubesse o quão forte nossa relação é e a lealdade que todos vocês me mostraram nos últimos 15 anos, eu provavelmente ficaria apavorada de sair de um isolamento para depois estar na frente de milhares de pessoas. Mas saber que essas milhares de pessoas são vocês, me deixa muito menos assustada. Então, essa é fofoca da noite, eu estou tentando me acostumar de estar de volta e me apresentar para vocês, mas não há nenhum outro lugar que eu prefira estar, isto é, fora da minha zona de conforto. Essa música é sobre outra experiência na minha vida que me empurrou a crescer em um ritmo que era um pouco anormal na época, mas valeu a pena. Isso me fez realizar mudanças em minha vida e retirou coisas da minha vida que eu nunca teria largado e essa música se chama ‘Malibu’.”

Milwaukee Journal Sentinel: Miley Cyrus quase teve um ataque de pânico no Summerfest de Milwaukee. No final da noite, foi ‘o maior concerto do mundo’

O show Summerfest de Miley Cyrus na sexta-feira teve um início espetacular.

Ela arrasou com o hino “seja você” sem remorso “We Can’t Stop”,indo para um trecho penetrante de “Where Is My Mind?” (um grande consolo para todos os fãs que ficaram chateados com o cancelamento do Summerfest).

Algumas músicas depois, ela estava levando sua voz forte e rouca ao limite com um cover estilhaçante de “Heart of Glass”, de Blondie.

Então, algumas músicas depois disso, a língua estava para fora e ela estava de volta ao seu modo “Bangerz” – e o rapper Wiz Khalifa, seu primeiro show na sexta-feira, estava ao seu lado – com o par se abraçando em sua enorme colaboração “23. ” (Khalifa estava com um humor tão generoso que até jogou o resto de seu cigarro para um fã na multidão.)

Mas, logo depois disso, Cyrus confessou algo incrivelmente pessoal para as quase 20.000 pessoas amontoadas no American Family Insurance Amphitheatre do Summerfest.

Entre uma longa pausa entre as músicas, ela compartilhou que disse a seu baterista e diretor musical Stacy Jones, que tocava com ela desde os 12 anos, que achava que estava tendo um ataque de pânico.

“Como todo mundo, durante o último ano e meio estive trancada e me isolando e é muito impressionante estar de volta a um lugar que parecia natural. Estar no palco costumava me fazer sentir em casa, mas não mais, por causa do tempo que passei em casa trancada”, disse Cyrus.

“A pandemia foi surpreendente assustadora e sair dela é ligeiramente aterrorizante”, continuou ela. “Então, eu só queria ser honesta com o que estou sentindo.”

Desde que Stevie Wonder chorou pela morte de Michael Jackson poucos dias antes em seu show Summerfest de 2009, eu não consigo me lembrar de um artista sendo tão emocionalmente transparente com seu público no festival de música de Milwaukee.

E foi ainda mais notável vindo de alguém como Cyrus, uma artista que viveu por meio de um alter ego praticamente toda a sua vida, de “Hannah Montana” à fase do hip-hop, ao período folk de “Malibu”, ao atual glam rock- abraçando a persona “Plastic Hearts” (com cabelo emplumado no estilo dos anos 80 e blusa roxa cravejada de lantejoulas, saia e botas de cano alto).

Mas ficou claro na sexta-feira que ela não fingiu, e ser tão aberta a aliviou de um fardo.

“O ano passado meio que removeu essa divisão, essa cortina, e estamos permitindo que as pessoas nos vejam em nossos estados mais vulneráveis, mais isolados, mais feridos, mais assustados”, disse Cyrus durante seu discurso de cinco minutos. “E eu acho que isso é algo realmente poderoso …”

“Acho que, por ser honesta, fico com menos medo”, ela continuou. “Estou me acostumando a voltar ao palco, mas não há nenhum outro lugar onde eu preferisse estar.”

E, a partir daí, um show que já era deslumbrante tornou-se ainda melhor, a estrela recém-liberada no centro visualmente fortalecida pelo apoio de seus fãs.

Cyrus assumiu a tarefa intimidante de cantar “Maybe” de Janis Joplin, cantando com quase tanto fogo em sua voz quanto a própria lenda falecida. “7 Things” era uma potência pop-punk, a faixa de 13 anos parecia tão abrasiva como sempre, acompanhada por uma banda de oito integrantes e visuais marcantes de meninas adolescentes com cicatrizes e olhos escurecidos, segurando bichos de pelúcia, gritando e chorando sangue.

Mas, depois disso, a banda recuou, deixando apenas Cyrus sob um holofote solitário, cantando com angústia sobre a guitarra elétrica esparsa um cover de Cher “Bang Bang (My Baby Shot Me Down)”.

“Midnight Sky” – o single de seu último álbum, “Plastic Hearts” – foi um triunfo crescente, com a voz de Cyrus e sua entrega atingindo como um raio. “The Climb” veio depois disso, o hino de “Hannah Montana” que continua a ter um peso incrível com esta casa lotada, com as vozes doces dos fãs em torno dos vocais de Cyrus, as luzes de seus smartphones se misturando com o brilho de suas lantejoulas no telas grandes do palco.

De “Wrecking Ball”, Cyrus foi para “Nothing Compares 2 U”, um cover que, como todos os outros, chegou incrivelmente perto de combinar o poder original da versão de estúdio de Sinead O’Connor. Em seguida, para “Party in the USA”, uma Cyrus radiante colecionou lembranças dos fãs, incluindo uma regata que dizia “Diet (Expletive)” que ela disse que usaria em seu próximo show, e uma velha camiseta da Hannah Montana que ela vestiu no fim.

Sentindo-se reconfortada pelo rugido da multidão após um começo tão emocionalmente desafiador, Cyrus encerrou a noite proclamando que este foi “o maior show do mundo”.

Certamente foi o maior show do Summerfest 2021.

Fonte


Publicada por: Miley Cyrus Brasil

Deprecated: WP_Query foi chamado com um argumento que está obsoleto desde a versão 3.1.0! caller_get_posts está depreciado. Utilize ignore_sticky_posts no lugar. in /home/mileybr/public_html/wp-includes/functions.php on line 5496
relacionado
22.09.2021
relacionado
20.09.2021
relacionado
17.09.2021
relacionado
14.09.2021
comente a postagem!
error: Content is protected !!